menu

Image Map

13/07/2018

Resenha | A Luz da Cegueira- Patrick Correa

Hey, people, como estão? Hoje, aproveitando o momento terror sexta-feira 13, resolvi trazer a resenha de uma leitura que fiz faz um tempinho. É um conto maravilhoso do Patrick Correa.
Sinopse: Em seus relatos mentais sobre uma noite sem fim no interior do obscuro bosque, Thomas Boyer cruza não somente o túmulo dos mortos, mas também os limites de seus próprios medos, vendo a si mesmo no interior de um pesadelo vívido, enquanto tentava buscar ajuda para sua mãe que tem a vida drenada por uma terrível doença. Partindo de si mesmo, o garoto emerge de seu próprio abismo, enfrentando o horror das lendas sobre as crianças que tiveram os olhos arrancados, trazendo para a superfície a luz da cegueira, na luminosidade opaca de uma vela no interior de uma garrafa, iluminando os medos mais profundos, onde a inocência sangra em densa escuridão abismal.

Thomas Boyer tem 15 anos e mora com a mãe debilitada em um povoado medieval francês. Os homens estão numa guerra que parece sem fim, deixando as mulheres e as crianças à própria sorte.

Por necessidade, o menino tem que atravessar o bosque, conhecido como túmulo das almas, para buscar remédio na casa da avó para a mãe moribunda. Só que há um problema, rezam as lendas que pela noite crianças que foram massacradas e que tiveram seus olhos arrancados assombram quem quer que passe e reclamam seus olhos perdidos.

Pensando nisso, o menino se apressa e chega na casa da vó. Depois de comer da torta da senhora, ele acaba cochilando e quando repara, já está escurecendo e, entre o dilema de ficar em segurança ou voltar à mãe que tanto precisava dos remédios, o menino decide se apressar pra casa.

Thomas rezou em pensamento, rogando que as lendas fossem apenas invenções, mas em seu coração havia o toque frio de um medo que se agigantava a cada passo que quebrava o silêncio no tinido de galhos secos estalando pelo chão. 

E é aí que a tormenta começa. Ele encontra uma menina que se diz perdida e quando pensa que está saindo do bosque, ele volta outra vez, e outra vez e outra vez. O menino começa a ver coisas que o assustam e com medo e em pranto ele clama por socorro.

Num movimento circular, angustiante e sufocante, Patrick mexe com os sentimentos do leitor, com sua sanidade, o prende em seu próprio medo, e quando pensamos que encontramos a saída, descobrimos que estamos dentro do bosque de novo junto com o personagem.

E ao acharmos que o autor já entregou toda a história, uma revelação nos choca no final. É um conto que oferece uma visão vinda de dentro pra fora, de dentro do menino, de sua mente, de seu medo, pra fora dele, pro exterior, pra um lugar mais concreto. E só quando saímos, quando nossa visão é ampliada, entendemos o que está acontecendo com Thomas.

A escrita de Patrick é cativante e poética, daquelas que nos atinge, que nos toca e que nos envolve. Cada página lida é um pedido por mais.

De verdade, foi um conto maravilhoso, surpreendente e que indico pra todos. Vocês podem conhecer mais do autor e de seus textos AQUI.

Classificação:
🕮🕮🕮🕮🕮💗
Autor: Patrick Correa
Ano: 2018
Disponível na AMAZON.

09/07/2018

Resenha | A Cova- Fábio de Andrade

Oiii gente!
Como prometido, hoje trouxe o Fábio de novo pro blog. Na verdade, uma resenha de um conto dele que saiu na Revistinha Pulp. Me propus a ler tudo que ele publicar, então lá vai.

Imagem  adaptada da Internet
💀Começamos o conto sabendo que a narradora está morta. E já na primeira página, nós ficamos curiosos pra saber quem ela é, como morreu e porquê.

🕱 Ficamos sabendo que ela é uma bióloga e que vivia num círculo privilegiado de estudiosos, incluindo um chamado Tobias, e é para eles que ela escreve a carta mencionando tudo o que lhe ocorreu.

💀Na expectativa de sucesso em uma pesquisa que está fazendo, ela viaja para colher amostras, mas seu carro morre e ela, impaciente e por causa da tempestade que assolou, se vê obrigada a descer para se abrigar em uma antiga serralheria. (Aí a gente sabe que o negócio vai ficar sinistro).

As três primeiras horas foram de calmaria e preocupação e os minutos seguintes provavam que uma tempestade sempre vai amedrontar qualquer se vivo, independentemente de sua época. p. 40
🕱 Pois bem, lá dentro, ela se vê assombrada por seres estranhos e inimagináveis.

Já tinha percorrido quase a metade da passagem quando me deparei com uma força segurando meu braço esquerdo, imediatamente virei e vi a cena que me traumatizaria para a vida inteira. p.41
💀E quando entra no escritório da diretoria e presidência em busca de algo que a livrasse daquela situação, pois seu celular, assim como seu carro, também estava sem sinal, ela acaba se envolvendo em uma leitura de correspondências entre o Sr. Joaquim Soares de Alencar (esse nome me fez lembrar do conto  do Fábio "O horrível fim de José de Alencar", na antologia Sob os Olhos do Delírio), o presidente, e uma mulher, supõe-se sua empregada, chamada Dolores Silva. 

🕱 A mulher estava grávida, mas o homem era casado e por isso não podia assumi-la e nem ao filho, sem contar nas condições precárias da fábrica. E num ato de desespero, quando o menino nasce, ela o deixa na fábrica para que Joaquim cuide dele, mas não é bem o que acontece.

💀Nossa protagonista-narradora lê e vive todas essas emoções e as atrocidades cometidas ali naquela antiga fábrica contra o menino José. E num jogo psicológico, Fábio nos assombra com sua história e nos faz pedir socorro e gritar e rastejar em busca da saída, assim como a personagem. Nos vemos presos em nosso medo, como em um quarto escuro.

Seja lá o que estivesse adormecido nesta fábrica, despertou com o berro desesperado, me provando que existem coisas que a ciência nunca terá capacidade de entender. p. 42
🕱 E o final, bem, o final vocês têm que descobrir. O que aconteceu com a personagem? Como ela morreu? Essa última pergunta fica pra imaginação dos leitores.

💀Mais uma vez o Fábio provou que sabe prender com sua escrita precisa e penetrante. Ele tem uma característica interessante e que pude observar em outros contos de sua autoria, que é dar as informações aos poucos. Nos deparamos com narradores que nos incentivam a buscar as informações e a criar os sentidos pro que lemos. Isso é extraordinário! E uma outra coisa característica na escrita do autor é essa sensação de tranquilidade inicial e que no meio se agita, depois, se acalma, mas no fim sempre há aquele impacto ou algo que deixa o leitor remoendo (e roendo as unhas) o que pode ter acontecido. E em "A cova", um conto escrito como se fosse uma carta, é exatamente esse o sentimento. As histórias do Fábio não são apenas do momento, elas nos acompanham e colocam nossa mente pra trabalhar. O conto é curto, mas terminamos a leitura com a sensação de completude e, claro, querendo ler mais coisas do Fábio, haha. Nem é preciso dizer que amei o conto. Esse e outros 6 contos vocês encontram na segunda edição da Revistinha Pulp. É só ir no site e ler a vontade 

Classificação:
🕮🕮🕮🕮🕮
Autor: Fábio de Andrade
Páginas: 7
Ano: 2018
Publicado na Revistinha Pulp

02/07/2018

Indicação | Revistinha Pulp


Holaaaa, personas! Hoje vim fazer uma indicação bem lindaaaa. Tenho acompanhado a Revistinha Pulp e a qualidade dos contos de cada autor. Vale muito a pena ler e se aventurar em cada história. Um dos autores que estou acompanhando é o Fábio de Andrade e também vou começar com o Lenmarck. Fiz a resenha do conto do Fábio da primeira edição da revista e vocês podem conferir AQUI..

~~~~~~~~~~~~~~~~~~🖤🖤🖤~~~~~~~~~~~~~~~~~~


SOBRE A REVISTINHA
Idealizada e organizada pelo escritor paraense Saulo A. Sisnando em parceria com a Associação Cultural Teatro de Apartamento, REVISTINHA PULP é uma publicação trimestral totalmente gratuita, que visa divulgar histórias divertidas de grandes autores nacionais.

O QUE É PULP?
Sem grandes pretensões artísticas, a literatura pulp se tornou conhecida no início dos anos 1900 como uma forma de entretenimento escapista e de fácil entendimento. Essas revistas eram dedicadas a histórias noir, de aventura, fantasia, faroeste, ficção científica e terror.

QUER PARTICIPAR?
Se você é escritor e gosta de escrever histórias divertidas sobre zumbis, lobisomens, vampiros, heroínas destemidas, cowboys valentes este é o seu lugar. Participe do nosso projeto!Mande um e-mail para: grupoteatrodeapartamento@gmail.com. Estamos recebendo contos sobre CRIME/NOIR até o dia 26 de setembro de 2018. Recebemos o texto com até 12.000 toques em formato DOC ou DOCX.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~🖤🖤🖤~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Essas são as duas edições que saíram e estão disponíveis para leitura online. De verdade, recomendo muitoooo. Vale a pena conferir, sem contar que é um projeto lindo de apoio aos nossos escritores nacionais, não é? Os dois volumes têm contos voltados pro terror/horror, então os amantes dos gêneros vão amaaar. Cliquem nas capas para serem direcionados às revistas.

     

Pessoas, espero que tenham gostado do post e não deixem de conferir, hein?! Em breve vou trazer a resenha do conto do Fábio inserido no segundo volume. A resenha já está pronta, só falta alguns ajustes e libero. Um abração e até a próxima, se Deus quiser. ^_^
© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.