menu

Image Map

21/06/2017

Especial | 178º Aniversário de Machado de Assis

Imagem retirada da Wikipédia.
Olá, pessoas! Hoje é o 178º aniversário do autor Machado de Assis. Eu não poderia deixar passar em branco. Amo o Machado e por isso resolvi compartilhar com vocês um pouquinho sobre ele e um poema. 

É considerado por muitos como o maior nome da Literatura Brasileira e navegou pelos mais diversos gêneros: Poesia, Romantismo, Crônica, Dramaturgia, etc. Nasceu no Morro do Livramento, no Rio de Janeiro, em 21 de junho de 1839, no período Regencial, onde presenciou a mudança de governo do Império para a República e ele foi um grande relator dos eventos sociopolíticos de sua época. Morreu no dia 29 de setembro de 1908, no Rio de Janeiro.
"Hoje em dia, por sua inovação e audácia em temas precoces, é frequentemente visto como o escritor brasileiro de produção sem precedentes, de modo que, recentemente, seu nome e sua obra têm alcançado diversos críticos, estudiosos e admiradores do mundo inteiro. Machado de Assis é considerado um dos grandes gênios da história da literatura, ao lado de autores como Dante, Shakespeare e Camões." Wikipédia

Lhes deixo um de seus poemas. Também resenhei há um tempo aqui no blog, um conto do Machado, o "A Cartomante", é só clicar no nome pra conferir a resenha.


O VERME


Existe uma flor que encerra
Celeste orvalho e perfume.
Plantou-a em fecunda terra
Mão benéfica de um nume.

Um verme asqueroso e feio,
Gerado em lodo mortal,
Busca esta flor virginal
E vai dormir-lhe no seio.

Morde, sangra, rasga e mina,
Suga-lhe a vida e o alento;
A flor o cálix inclina;
As folhas, leva-as o vento.
Depois, nem resta o perfume
Nos ares da solidão…
Esta flor é o coração,
Aquele verme, o ciúme.
(Falenas – 1870)

18/06/2017

Vida Cristã | Amado por um Deus glorioso - Max Lucado

Imagem retirada de Universo Racionalista
18 de Junho | Amado por um Deus glorioso

O Senhor falava a Moisés face a face, como quem fala com seu amigo. Êxodo 33.11

Moisés faz um pedido a Deus: "Peço-te que me mostres a tua glória" (Êx 33.18).

Por que Moisés queria ver a grandeza de Deus?
Faça a você mesmo uma pergunta similar. Por que você olha para o pôr do sol e pondera sobre o céu de uma noite de verão? Por que você busca um arco-íris na névoa ou olha para as belezas naturais? Como explicamos nossa fascinação por visões como essas?

Beleza? Sim. Mas a beleza não aponta para um maravilhoso Alguém? A imensidão do oceano não sugere um Criador imenso? O ritmo de migração das aves ou das baleias não aponta para uma mente brilhante?

E não é isso o que desejamos? Um Criador maravilhoso? Um criador imenso? Um Deus tão poderoso que pode comissionar os pássaros e comandar os peixes?

Cruzamos uma linha quando fazemos tal pedido. Quando nosso desejo mais profundo não está nas coisas de Deus ou não é um favor de Deus, mas sim o próprio Deus, cruzamos um limite. Menos foco em nós, mais foco em Deus. Menos de mim, mais dele.

Oração: Senhor gracioso, tal como Moisés, desejo ver tua grandeza e tua glória. Quero te conhecer melhor, Senhor. Quero me concentrar menos em mim mesmo e mais em ti.

14/06/2017

Resenha | Madrugada Macabra - Soraya Abuchaim

SINOPSE
Este conto, sobre um certo homem chamado Marcondes, de 42 anos, será narrado de forma fria, objetiva e certeira, tão certeira como um tiro que atingirá o seu coração a fim de deixar-lhe de olhos esbugalhados e com a boca seca querendo mais (da história, claro). Seus sentimentos vão ser abalados, meu caro; de uma hora pra outra você vai passar do amor ao ódio através de uma narrativa balanceante tal como a onda de um mar indeciso. A tranquilidade, a princípio, está na superfície, mas lá no fundo os fatos se movem, as palavras se esgueiram pra dar-lhe um soco quando você menos esperar. Esta história terá seu momento de tensão, calma e explosão. Narro-lhe este conto como alguém que conhece Marcondes de uma forma profunda e que conhece sua vida passada, presente e futura.

Antes de eu começar, quero dar-lhe um conselho: não leia de madrugada. Conselho dado, acomode-se, pegue uma xícara de café, suco ou chá e me escute com atenção. Não recomendo que coma nada, porque se tiver o estômago fraco vai acabar vomitando.


Marcondes roncava num sono profundo quando seu telefone tocou às 2 da madrugada. Ele era um chaveiro que trabalhava 24 horas por dia, mas também era um grande curioso, já lhe adianto. Quando atende o telefone, um homem fala desesperado que trancou as chaves no carro e agora não sabe o que fazer. "Que idiota!", pensou o chaveiro, mas se levantou e foi ajudá-lo, afinal, esse era o seu trabalho.


Chegando ao local, o medo começa a querer visitá-lo, pois a cena que ele vê o assusta um pouco, e ainda mais quando o homem sorri pra ele. Passado esse momento inicial de terror, ele começa seu trabalho e enquanto tenta abrir a porta do carro percebe um brilho diferente dentro dele. Uma faca! (Seu coração deve estar aos pulos agora, e essa é a minha intenção). 

"A faca não estava exatamente à vista, mas passara por uma tentativa de ser escondida sob um maço de papéis, que provavelmente se deslocou, deixando a lâmina aparente. Os papéis estavam manchados com alguma coisa, e Marcondes preferiu não pensar no que aquilo poderia ser."
Respira fundo e continuemos. Marcondes terminou seu trabalho, o homem lhe pagou e foi embora. Mas, mesmo com medo, o coração palpitante e o suor escorrendo pelo rosto, a curiosidade falou mais alto (Ah, Marcondes, porque você tem que ser tão curioso?!) e ele começou  a seguir o homem. E muito tempo depois, após seguir por uma estrada deserta, o homem para na frente de uma casa iluminada por uma luzinha amarela e uma mulher o recebe. Marcondes se esgueira e chega perto da casa pra tentar descobrir algo. De repente começa a chover e o breu é quase total e o cenário, meu caro leitor, é macabro e assustador. Com lágrimas de medo nos olhos, ele decide voltar pro carro e pra sua vidinha pacata, mas adivinhe? 

Não conto mais! (😂) Só digo uma coisa, Marcondes tem um passado feio e passados assim costumam cobrar seu preço.

Mais uma vez, tomado de uma ironia que não lhe era comum, ele pensou que as pessoas realmente só percebiam o que haviam perdido quando chegavam à conclusão que tudo lhes seria tirado.

Classificação:
Editora: Independente
Ano: 2017
Páginas: 31
Compra: AQUI!


Gente, como mencionei em uma resenha anterior, adotei uma nova maneira de escrever minhas resenhas, cuidando pra que os aspectos relacionados à escrita do autor fosse deixado à mostra. Adotei para esta um narrador em 3ª pessoa, que é como o conto foi escrito. Enfim, me apaixonei pela forma como a Soraya escreve. Amo quando o autor brinca com nossas emoções. Recomendo demais o conto! Soraya, obrigada por disponibilizá-lo!! 
© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.