menu

Image Map

21/06/2016

Poema do mês de junho- "Disfarço o cansaço"- Edinei Lisboa

Foto do blog Jovens que oram
Disfarço o cansaço


Cansado de estar tão longe
Tão impotente
Diante de situações
Que me tomam a paz.

Cansado de ser paciente
De ter fé nessa gente
Que não muda jamais,

De acreditar em promessas tão simples
Que até pareciam reais,
Em sorrisos tão falsos
Quanto as notícias dos jornais.

Cansado, mas ainda vivo
Vivo uma sobrevida,
Sobrevivo,

Mas, da vida, não me canso
Descanso numa canção, num chamego, num sonho
Engasgo a frustração com a esperança de um estranho.

Refaço o ânimo no sol que se levanta
Disfarço o cansaço numa calma branda
E mesmo cansado me lanço na vida
E a vida me lança.


Deixo esse poema lindo do autor Edinei Lisboa para que meditem e desfrutem. Quem nunca se sentiu assim? São tantas coisas que nos tiram a paz, que nos iludem, que nos decepcionam, mas, ainda assim, que tenhamos ânimo a cada dia de levantar e de seguir em frente. Que os abraços que a vida nos dá sejam maiores e mais fortes que nosso cansaço diário. 

Quer conhecer mais poemas lindos? É só entrar na página no Facebook ou no Blog. Deixo também o Twitter e o Instagram do Edinei. 

Abração!

14/06/2016

El Pájaro- Jorge Eduardo Eielson


Azul
brillante
        el OjO el       
Pico anaranjado             
el cuello
el cuello
el cuello
el cuello
el cuello
el cuello
el cuello herido
                              pájaro de papel y tinta que no vuela
                                           que no se mueve que no canta que no respira
                         animal hecho de versos amarillos
                     de silencioso plumaje impreso
               tal vez un soplo desbarata
                        la misteriosa palabra que sujeta
sus dos patas
            patas
            patas
            patas
            patas
             patas 
            patas
            patas
                                  patas sobre mi mesa
   
Jorge Eduardo Eielson, en: TEMA Y VARIACIONES (1950).

Comentário: A poesia acima pertence a um movimento literário espanhol chamado Generación del 50. Trata-se de um movimento pós-guerra na Espanha e no Peru, país de Jorge Eduardo Eielson (por isso estou falando dele aqui), a narrativa está vinculada ao desenvolvimento urbano e à migração andina para Lima (Peru), portanto, a poesia tem uma postura social e crítica sobre a vida. Os poetas pertencentes a este movimento têm toda uma preocupação com a linguagem, com a estética. Na poesia acima podemos ver que as palavras formam exatamente um pássaro; um pássaro feito de papel e tinta, sem vida, que pode desfazer-se em um sopro. Talvez o poeta nos queira mostrar o vazio das coisas, pois podemos perceber um tom de existencialismo. Ele cria um pássaro, mas o animal não passa apenas de algo vazio, ferido, que não tem forças, supérfluo, que pode desfazer-se facilmente. E a verdade é que algo de fora, da vida real, passa a ser algo estético. Jorge consegue formar, representar esse sentimento de existencialidade através das palavras.


Espero que tenham gostado. Um abraço!

05/06/2016

Um Ano Inesquecível


Sinopse: Dizem por aí que os melhores momentos da vida são vividos na adolescência. Os primeiros amores, os encontros, as festas, as viagens, as surpresas... E são sempre os instantes inesperados que transformam um dia comum em uma lembrança especial, daquelas que nunca deixarão de nos acompanhar. Este é um livro sobre esses momentos doces e sensíveis que não se apagam da memória tão facilmente. Quatro contos, em quatro estações do ano, sobre jovens que passam por vivências e sentimentos intensos. Paula Pimenta nos leva em uma viagem de inverno. Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso amor de verão. Histórias de um ano inesquecível que vão ficar para sempre!

O livro é composto por quatro histórias independentes, mas que juntas formam um ano inesquecível, título do livro.

A primeira, "Enquanto a neve cair", escrita por Paula Pimenta, se passa, como o título indica, no período do inverno; a segunda, "O som dos sentimentos", de Babi Dewet, se passa no outono, a terceira, "A matemática das flores", de Bruna Vieira, na primavera e a última, "Amor de carnaval", de Thalita Rebouças, no verão.

A primeira história, narrada em 1ª pessoa, vai contar  sobre Mabel e Benjamín e tem como cenário o Valle Nevado, no Chile. 

Mabel, de 14 anos, junto com os pais e o irmão mais novo, Dudu, vão passar as férias de inverno esquiando, o que não agrada muito a garota pois já tinha armado planos para suas férias com as amigas Magê e Malu. Nem tudo poderia ser tão perfeito como Mabel imaginava. Mas talvez tenha sido o destino dando uma mãozinha como em toda história de amor. 

Então, obrigada a viajar com a família, ela acaba conhecendo Benjamín, um rapaz de cabelos ruivos que chamou sua atenção desde o aeroporto. Mas Mabel não deu muita bola, o único fato de ter ficado encarando o rapaz foi por causa de seu cabelo ruivo e, segundo ela, nunca havia visto ninguém com essa tonalidade, a não ser no filme de Harry Potter, hahaha.

Algum tempinho depois, os dois voltam a se encontrar em situações inusitadas e bastante engraçadas, mas só quando ele se torna professor de ski do Dudu é que eles passam a se conhecer e se aproximarem de verdade.

A história contada desde a perspectiva da menina é cheia de humor, crises adolescentes e um romance superfofo. Embora não tenha sido a melhor coisa que li da Paula Pimenta, vale a pena conferir, sim!


A segunda história, narrada em 3ª pessoa, se passa em São Paulo durante o outono e tem como protagonistas João Paulo, um jovem sonhador, que toca violão e estuda música e a futura advogada Anna Julia, a pé no chão.
  
Ele tem 19 anos, ela, 17. Ela diz que detesta música, já ele não vê sentido no mundo se não existisse melodia. Os dois se encontram na Avenida Paulista e a garota sempre está correndo, atrasada, e no começo nem dá tanta importância ao rapaz.  Ela está terminando a escola e já está estagiando em um escritório de advocacia, próximo ao Museu de Artes de São Paulo, por insistência dos pais.

O que mais gostei na história é que tudo vai acontecendo de forma natural, devagar. João Paulo aos poucos vai mostrando a Anna Julia uma outra perspectiva a respeito da música e vão se conhecendo melhor, se aproximando, tudo sem pressão. Acho que por isso foi um dos meus contos favoritos do livro. 


 Em "Matemática das flores", temos como cenário a primavera e  a história também se passa em São Paulo, com a narração em 1ª pessoa. A personagem principal também tem o nome de uma flor, Jasmine. Acho que foi um dos contos que mais me fez rir, a Bruna tem uma escrita bem leve e humorística, o que acaba envolvendo ainda mais o leitor.

Jasmine é uma garota carismática de 17 anos e está prestes a terminar o ensino médio, mas tem um grande problema: é péssima em matemática (nossa, me identifiquei tanto com ela! Hahaha). Para resolver a questão, os pais, junto com a direção da escola, tomam a decisão de que a garota passará a ter aulas de reforço para assim poder passar de ano e ir para a faculdade, um de seus sonhos. Por um imprevisto, ou uma mãozinha do destino, Jasmine acaba tendo aula com um rapaz que cursa engenharia, o Davi, que é uns dois anos mais velho que ela. 

Eles acabam se entrosando e o rapaz realiza um verdadeiro milagre: faz Jasmine entender matemática! 

"-Não se você pensar que a matemática é exata, lógica. Você só precisa parar de enxergá-la como um monstro. Pense que ela é algo redondo, onde tudo se encaixa no final. É como a música. A melodia só faz sentido porque as notas trabalham em conjunto. "
Eu achei lindo o romance dos dois também, mas como qualquer história de amor, eles terão que enfrentar vários desafios que aparecem. Mas o final é superfofo. Confiram!


Neste último conto,  vamos conferir a história de três amigas inseparáveis: Inha, Kaká e Tati. Desta vez o cenário é o Rio de Janeiro. É também um conto bem humorístico, o que nos prende do começo ao fim. 

O que mais achei interessante foi o narrador, em 3ª pessoa, ele é o tipo  narrador onisciente seletivo, o tipo de narrador que além de contar os fatos, dá sua opinião, o que pode influenciar o leitor a favor ou contra um personagem, por exemplo. E a história fica mais engraçada justamente pelos comentários, antecipações que o narrador faz. 

O conto começa com as meninas rindo de suas decepções amorosas, pelo menos a da Inha, que foi trocada pela garota mais metida da escola e Kaká, que foi trocada por um cavalo, o Ermenegildo Barbosa (isso mesmo, um cavalo! e com esse nome!).  

Cada uma tem um sonho: Tati, quer ser famosa, Kaká, casar-se com um príncipe e Inha, bom, Inha é a pé no chão da turma, seu sonho é ser nutricionista. Elas mal sabem o que as aguardam. Tati é irmã do jogador do flamengo, o Wilsinho, que na virada de Ano acaba tendo um rolo com a famosa funkeira, Keillinha Kero-Kero (é cada nome! Espera só pra ver o do cavalo pelo qual Kaká foi trocada!). Aproveitando-se do momento, após o irmão ter sido flagrado aos beijos com Kero-Kero, Tati começa a usar isso a seu favor e assim tem seus minutos de fama.  

Wilsinho consegue ingresso para as meninas para assistirem o carnaval em uma área VIP, e, claro, sua irmã vai tirar o máximo proveito do momento, mas dessa vez é Inha quem vai ganhar destaque. 

Após um momento de embaraço, por ter derrubado suco na camisa de um rapaz, sua vida irá ganhar mais intensidade. Guima, o menino de olhos kiwi, fica totalmente encantado com a beleza e doçura de Inha (awwnnn *_*). É uma história superfofa e meiga a deles dois, mas o que Inha não sabe é que ele é comprometido com a famosa modelo internacional Carrie Catherine Shy Goldenblat (sei o que você deve estar pensando e concordo totalmente: a Thalita caprichou nos nomes, é cada um que impressiona, hahahaha, acho que isso é o que deixa a narrativa ainda mais cômica). Mas posso dizer que assim como o conto terminou com as meninas rindo, assim ele também se finda. 


Embora já tivesse ouvido falar na Babi, Bruna e Thalita, não havia tido a oportunidade de ler nada delas ainda e amei ter lido o livro e ter conhecido um pouco da narrativa de cada uma e ter lido algo mais da Paula. O livro em si trata de questões da adolescência como amor, amizade (que não é só da adolescente, claro), bullying, relacionamentos familiares, etc. É um pouco meloso, haha. Esse é o tipo de livro pra quem busca uma leitura leve, simples, sem muito aprofundamento literário, digamos assim. É um livro que te prende e que faz você relembrar seu tempo na escola, pelo menos pra quem já passou dessa fase. 


Classificação:
Autoras:
Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças
Editora: Gutemberg
Ano: 2015
Páginas: 400

02/06/2016

TAG: Doces, Livros & Docinhos


Olá pessoas, como estão? Estou aqui para responder a mais uma TAG. Essa foi indicada pela Cecília, do blog Mundo Literário da Cecy. Eu amei porque é uma TAG diferente das que já respondi. Confere só. ;)


Chocolate: um livro tão bom, mas tão bom, que você preferiu avançar calmamente na leitura só para aproveitar cada página...
Eu já conhecia a Sarah J. Maas pela série Trono de Vidro e já era apaixonada pela escrita dela. Quando li Corte de Espinhos e Rosas, esse amor só fez aumentar e percebi o quando a escrita dela amadureceu. O livro, como a sinopse diz, é uma mistura de A Bela e a Fera, Game of Thrones, só que não chega a ser uma releitura, propriamente dizendo. Esse é o tipo de livro que você se delicia e deseja que não acabe, assim como chocolate. Leiam, leiam, leiam!


Cupcake: um livro cuja parte inicial você considera ser a melhor:
Eu fico com O Substituto, de Philippa Gregory. O início é bem legal, nos prende e é cheio de mistérios, mas depois esses mistérios acabam sendo lacunas não preenchidas, e ficamos com a sensação de que faltou algo. Mas mesmo assim recomendo o livro, ele é bem legal e a continuação já saiu, espero que seja melhor que este primeiro volume.


Bolo: um livro que misturou vários gêneros literários e se tornou uma combinação deliciosa:
Não sabia que livro colocar nesta categoria, mas acho que Os Ratos do Quarto ao Lado, do escritor brasileiro Jefferson Sarmento, se encaixa bem. Ele, além de ser bem escrito, é um romance policial, cheio de suspense, terror e drama. É uma mistura bem interessante que nos prende do início ao fim, até que o caso seja resolvido, portanto, recomendo a leitura. ^_^


Algodão Doce: um livro tão doce que enjoa:
Acho que os livros do Nicholas Sparks se enquadram bem nessa categoria. Esse, Um amor pra recordar, é um livro que nos faz chorar. Trata do amor entre dois adolescentes, mas que são separados por uma doença que a garota tem. Apesar de não me considerar uma pessoa melosa, li 4 livros do Sparks e agora já não me atraem mais,  enjoei. Parece que, pelo menos nos livros que li, os personagens sempre têm características  iguais que os demais dos outros livros, essa foi a impressão que tive. Por esse motivo, acabei enjoando os livros do Sparks, não pelas histórias em si, mas pela construção.


Jujubas: um livro que todo mundo gosta e a leitura atual:
Igual que a Cecy, eu também fico com a Bíblia Sagrada para esta categoria. É um livro com um alcance muito grande e que é um registro da história da humanidade do princípio até o fim, pelo menos eu creio assim.







No meu caso, são LEITURAS ATUAIS, estou lendo 2 livros, mas o que mais estou dando atenção é ao El libro de arena, de Jorge Luiz Borges. 












Sorvete: um livro suave, com uma narrativa suave e uma escrita suave. Uma leitura suave:
Acredito que os livros da Paula Pimenta se encaixam bem nesta categoria. Esse, A Princesa Adormecida, é uma releitura do conto A Bela Adormecida. É um livro que fala de primeiro amor e de todas essas coisas que são comuns à adolescência. O que me faz gostar tanto dos livros da Paula é que são superleves e bem suaves. Toda vez que leio um livro denso, recorro à Paula pra aliviar um pouco a mente.


Macarons: um livro que todo mundo já leu, menos você:
Ainda não li Harry Potter. :( Será que estou só nessa? Hahaha. Um dia talvez me anime e leia, na verdade eu quero, mas são tantos livros que a gente acaba deixando alguns pra trás.


Pipocas: um livro que na sua opinião daria um excelente filme:
Acho que "O Substituto" daria um bom filme, apesar de a história não ter sido bem explorada no livro, mas como amo a ambientação medieval, iria amar ver o filme desse livro. 


Twix, Lion e outras barras de chocolate: Um livro que trás muito pouco pelo preço que pagou:
Bem, pra essa categoria eu não tenho nenhum livro porque, primeiro, só compro livros quando leio resenhas deles ou quando está barato, em promoção. Segundo, eu lia muito por PDF. (Lia porque agora estou tentando ler os livros físicos que tenho em casa).


Maçã do Amor: qual o livro mais romântico da sua estante?
Acho que este se encaixa bem. São quatro histórias, por quatro escritoras, todas bem melosas, bem românticas, mas bem leves. Os livros do Nicholas Sparks também se encaixariam perfeitamente, "Um amor pra recordar", "Diário de uma paixão", acho que são os mais melosos dele, pelo menos dos 4 que li. A diferença das histórias do livro "Um ano inesquecível" para as dos livros do Sparks é que aquelas terminam de um modo bem "awwwnn" e a estas, geralmente, terminam em choro (choro do leitor, claro, haha).


REQUISITOS EXTRAS - DOCES PORTUGUESES- OVOS MOLES DE AVEIRO: um livro com uma capa neutra e sem vida, mas cujo interior seja bastante agradável:
Não diria que a capa é sem vida, mas é bastante neutra e talvez não atraia tanto, mas, em compensação, a história é muito bem construída. 
Não sei vocês, mas eu quando li esse nome "Ovos moles de aveiro", fiquei me perguntando o que é essa coisa, no caso, esse doce, e descobri, segundo nossa querida Wikipédia, que é um doce típico de uma cidade de Portugal chamada Aveiro. Se quiser saber mais, clique AQUI.



PÃO DE LÓ: um livro cuja desilusão foi tanta que custou engolir:
Na verdade não foi o livro que me desiludiu, foi o rumo que a história tomou. A escrita da Sarah é incrível, mas neste livro, Herdeira do Fogo, eu fiquei com vontade de bater nela e mandar ela escrever o que eu queria que acontecesse, kkkkk. Quem nunca? 


PASTEL DE NATA: um livro pequeno, mas que te diz muito:
Este é um livro lindo, apesar de ser pequeno. Pelo menos a edição que li tem 93 páginas, mas é um livro cheio de mensagens reflexivas, que nos faz querer voltar a ser criança. Não me canso de falar o quanto é um livro cativante.

É isso, gente. Um abração!

Blogs que indico:
© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.