menu

Image Map

19/06/2018

Indicação| Livros | 10 livros pra ler em 1 dia


Oi, pessoas, tudo bem com vocês? Espero que sim. Então, o post hoje é um pouquinho diferente. Vim trazer a indicação de 10 livros que se pode ler em 1 dia, e falo por experiência. Todos os livros indicados foram lidos e quase todos resenhados por mim, alguns demorei mais de um dia pra ler, mas por questões de faculdade, essas coisas, mas a maioria li realmente em um dia e sei que todos podem ser lidos em apenas um dia, sendo que alguns em horas. Os gêneros são variados, tem terror, poesia, teatro, crônica, etc. Vamos lá? Os indiquei conforme fui lembrando, haha.

1- Tempo do Tempo: as estações do coração: é um livro lindo de poesia, da Marianne Galvão, dividido nas quatro estações do ano. O livro foi concedido pela Penalux.


2- O Vilarejo, do Raphael Montes, através de quem eu passei a gostar de terror.


3- Amor à moda antiga, do Fabrício Carpinejar. Um livro lindo, por fora e por dentro.
                                     

4- Tempo Seco, da Clara Arreguy, uma coletânia de crônicas do tamanho de uma corrida de táxi. 


5- Bodas de Sangue, de Federico García Lorca. É uma peça maravilhosa.
                                                         


6- Princesa Adormecida, da Paula Pimenta. Uma releitura de A Bela Adormecida. Um livro levinho e gostoso de ler.


7- O Pequeno Príncipe, do francês Antoine De Saint-Exupéry. É uma indicação para todas as idades. Sério, se não leram, leiam! 💗



8- Extraordinário. Gente, que livro lindo é esse? Um livro que após sua leitura não vemos o mundo da mesma forma. 


9- A Mandrágora, do italiano Nicolau Maquiavel. Uma comédia que denuncia a inversão dos valores, sociais e religiosos. 




10- Poesia, Prosa e Canção, do Edinei Lisboa. Um livro de poemas curtinhos e bem visuais.


Então, gente, é isso. Espero que tenham gostado das dicas. Me contem nos comentários se já leram ou querem ler algum desses livros. Abraço quentinho em vocês e até a próxima, se Deus quiser. 💗

11/06/2018

Projeto | Abrace um escritor nacional- Fábio Indica- #Post4

Fábio de Andrade. Foto concedida pelo autor.
Oi, gente! Aos pouquinhos o blog vai voltando com sua atividade e hoje trago pra vocês o último post do Fábio de Andrade no Projeto adotado aqui (no qual falhei bastante, mas pretendo melhorar isso), o Abrace Um Escritor Nacional. Não quer dizer que ele não virá mais por aqui, o blog está aberto pra ele e eu sou toda ouvidos e olhos (estarei acompanhando tudo que o Fábio escrever e vou trazer pra cá, prometo), haha.

Para este último post, o Fábio deu a ideia de indicar alguns livros e filmes preferidos dele. Então dentro do cinema e da literatura fiz algumas perguntinhas para ele. Vamos conferir?


♥️♥️~~~~~~♥️♥️~~~~~~♥️♥️~~~~~♥️♥️~~~~~♥️♥️


1- Cite pelo menos 5 livros favoritos e, em contrapartida, cite 5 livros cuja leitura não te agradou tanto: 

R: Eu sempre tive problema em ter algo preferido, acredito que a única coisa que tenho certeza nesses casos é do meu prato preferido. Mas se tratando de livros eles mudam bastante, então vou falar dos que eu mais estou tendo uma paixão nos últimos tempos, então vamos lá! 

  • Histórias extraordinárias, Edgar Allan Poe 
  • Psicose, Robert Bloch 
  • Inferno, Dan Brown 
  • A Resistência, Julián Fuks 
  • As esganadas, Jô Soares 

Ultimamente eu tenho lido muita coisa nova, de pessoas que nunca tinha ouvido falar, gêneros que eu nunca imaginei que leria, muitos autores brasileiros, e esses últimos têm me surpreendido muito. E no meio de tudo isso tiveram alguns que não me agradaram por diversos motivos. 
  • Essas estrelas são nossas, Poul Anderson 
  •  Bem atrás de você, Lisa Gardner 
  • Prince of Thorns – vol 1, Mark Lawrence 
  • Joyland, Stephen King 
  • Anônima Intimidade, Michel Temer 

2- Nos indique 3 filmes preferidos e 3 que não gostou: 

R: Essa é um pouco mais fácil, eu não sou muito fã de séries – mesmo que precise mudar isso – mas adoro filmes, ultimamente tenho visto mais do que qualquer época da minha vida, então aí vão os meus preferidos: 

  • Onde os fracos não têm vez, irmãos Coen 
  •  Bastardos Inglórios, Quentin Tarantino 
  • Interestelar, Christopher Nolan 

E os que eu menos gostei foram: 
  • O fabuloso destino de Amélie Poulain, Jean Pierre Jeunet 
  • O iluminado, Stanley Kubrick 
  • Percy Jackson, Chris Columbus 

3- Qual o seu vilão preferido do cinema e/ou da literatura? E por quê. 

R: Anton Chigurh, um dos protagonistas do livro Onde os fracos não têm vez, do Cormac McCarthy, que foi vivido pelo Javier Bardem no filme de mesmo nome dos irmãos Coen. Ele é simplesmente incrível, é uma quebra de realidade genial. A gente espera um vilão todo eloquente, cheio de frases preparadas e tramando alguma coisa para acabar com a vida do mocinho, mas somos surpreendidos com a figura, até engraçada, do Anton. Quando vocês verem o cabelo dele vão entender o porquê da graça. Seu motivo é a melhor coisa do personagem, ele simplesmente quer o dinheiro e faz de tudo, de maneira genial e psicótica, para conseguir isso. 


4- Pra pergunta anterior não ficar sozinha, qual o personagem protagonista do cinema e/ou da literatura que mais te fascinou? E por quê. 

R: Brás de Oliveira Domingos, é o protagonista da HQ Daytripper dos irmãos brasileiros Bá e Moon. A história conta o que acontece se o passado/vida e futuro/morte se encontram de forma surrealista da vida do personagem, com o traço marcante dos dois irmãos, é uma história que faz o Brás levantar questões sobre família, amizade, amor e principalmente esperança. Foi a primeira vez que eu chorei lendo um quadrinho, e tudo isso quando o Brás recebe a carta do seu pai no final da HQ, é um personagem simplesmente incrível. 

5- Vamos formar um acróstico? Pra cada letra do teu primeiro nome, cite personagens conhecidos, tanto do cinema como da literatura: 

F: Frodo Bolseiro, era meu apelido quando tinha o cabelo mais cacheado. 
Á: Abdul Alhazred, o árabe louco, um poeta e autor do Necronomicon. 
B: Berenice, que belos dentes. 
I: Irineu Barbosa, é o coveiro do meu próximo livro.
O: Oompa-Loompas, não consegui lembrar de nenhum, então eles surgiram na minha cabeça.

〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜

Onde obter mais informações sobre o autor e seus escritos? 

〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜
Esse post faz parte do projeto que trouxe aqui para o blog, o #AdoteUmEscritorNacional, um incentivo a que leiamos mais nacional e que abramos um espaço para nossos queridos escritores, que fazem de nossos dias uma aventura incrível. \o/\o/\o/\o/ Saibam mais do projeto AQUI e confiram a primeira e a segunda e terceira postagem que fiz sobre o autor, uma entrevista bem amor. 
〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜
Abraços quentinhos e até a próxima, se Deus quiser. 💗

26/05/2018

Resenha | A Mandrágora- Nicolau Maquiavel

SINOPSE
Oi, gente, como estão? Saudades! Faz tempo que não venho aqui, mas hoje lhes vim trazer uma resenha de uma leitura de Janeiro (😰). Pois é, já faz tempo mesmo. Foi uma leitura de um projeto que estou participando, o #12ClássicosPara2018.

🌵Aos 10 anos, após perder os pais, Callimaco é enviado a Paris pelos seus tutores.

Estando lá já adulto, um homem chamado Camillo Calfucci lhe fala de uma parente sua, dona Lucrezia, e exalta tanto a sua beleza que desperta a curiosidade de Callimaco, o qual larga tudo em Paris para ver com seus próprios olhos a essa senhora. Loucura, né? Ainda bem que é uma comédia, porque uma paixão desenfreada dessa, sei não, viu

🌵Enfim, louco de amor por Lucrezia, o moço de 30 anos, mais ou menos, vai contar com a ajuda de seu servo Siro e de Ligurio, um aproveitador que vai ajudar Callimaco a elaborar um plano para conquistar Lucrezia, que é casada com Messer Nicia, um homem que seria respeitável se não fosse tolo.

O casal tem o desejo de ter filhos, mas aparentemente um dos dois tem problema e aproveitando-se disso, Lugurio e Callimaco arquitetam um plano. 

🌵Passando-se de médico, e recomendado a Nicia por Ligurio, Callimaco tem sua chance de aproximar-se de Lucrezia, a qual é fiel ao marido e só sucumbe ao plano aconselhada por sua mãe Sostrata e o frei Timoteo, que recebe uma boa quantia para ajudar a convencê-la. E o plano é fazer com que a mulher adultere com a justificativa de ficar "limpa" de sua infecção após tomar uma poção de mandrágora

Só que Messer Nicia é tão ingênuo que não sabe que além de ser uma planta que torna as mulheres fecundas, a mandrágora é também afrodisíaca. E é justamente essa função que é explorada na peça.

🌵A Mandrágora é uma comédia dividida em 5 atos. Escrita em 1520, é considerada a melhor peça de Maquiavel e a maior comédia da literatura italiana.

Confesso que fiquei com medo quando li na descrição que essa peça possuía um alto teor erótico, porque como vocês sabem não curto nada do gênero, mas a verdade é que eu imaginava que se tivesse algo assim seria mais mascarado. E a verdade é que até agora estou buscando onde é que está o erotismo, hahaha. Mentira, gente, a verdade é que escrever sobre elementos afrodisíacos no século XVI era algo bem impactante na sociedade, uma sociedade, principalmente Europa, que estava acabando de sair da Idade Média. 

🌵Maquiavel denuncia as inversões e declínio dos valores éticos e sociais. A importância de um herdeiro ainda é forte na sociedade da época, e por isso as pessoas fazem qualquer sacrifício, até levar gaia, haha. A igreja está se corrompendo e se deixando levar pela falta de moral, tanto é que o frei diz que adulterar não será pecado se o fim for um filho.

Vemos também a queda do homem nobre, rico e com poder, que dá lugar ao trapaceiro, pois Callimaco, apesar de ser rico, é guiado pelo aproveitador Ligurio.

🌵Enfim, pessoas, é um livro que indico muito pra vocês. Tem uma escrita leve e divertida e dá pra ler em algumas horas.

Classificação:
🕮🕮🕮🕮🕮
Autor: Nicolau Maquiavel
Editora: Martin Claret
Ano da edição: 2003
Páginas: 132

Beijos e até a próxima, se Deus quiser.❤️

29/03/2018

Projeto | Abrace um escritor nacional | Resenha- O último lobisomem de Whitestone- Fábio de Andrade #Post3


Genteee, tudo beleza? Então, dando continuidade ao projeto #AdoteUmEscritorNacional, hoje vim trazer a resenha de um conto maravilhoso do Fábio de Andrade que está inserido na Revistinha Pulp, que vocês podem ler gratuitamente, além do conto do Fábio vocês encontram mais 5 contos de outros autores. Já virei fã e vou ler todos os volumes da revista. <3 O conto do Fábio se intitula O Último Lobisomem de Whitestone. Vamos conferir a resenha?
LEIA AQUI
🌳 Whitestone não é uma floresta qualquer, ela guarda segredos que seria melhor se ficassem ocultos. Porém, como sabemos, o ser humano é muitíssimo curioso e parece não saber o momento de parar de sê-lo. Além de curioso, pode ser bastante ambicioso e é essa característica que o coloca em situações nada agradáveis. Esse foi o caso de Wiston Botha, que ficou conhecido na região como "o último caçador de lobos", título que ele apreciava muito. 

"[...] a melhor forma de se caçar um lobo é enquanto ele dorme, quem discordar disso, não sabe o que é caça." p. 40

🐺 A floresta, tida como mina de ouro por conta da pele dos animais que existiam por lá, era atacada constantemente por homens gananciosos que não só se conformavam em sustentar-se, mas queriam enriquecer às custas dela. Porém, em tudo há um preço, mais cedo ou mais tarde.

"[...] assim como a mãe natureza fornece tudo de bom grado, ela retira da forma mais implacável possível." p. 39

🌳 E não foi diferente com Ton (Wiston), que durante uma noite foi enganado pela floresta que ele pensava conhecer. Em uma de suas rotineiras caçadas aos lobos, ele se encontra num lugar que não havia estado antes e a noite densa é preenchida por uma névoa e por uma lua cheia que observa do alto o desenrolar daquela história.

🐺 Sendo atraído para uma toca que ele achava ser de lobo, Ton descobre que o preço que a natureza pode cobrar, realmente, pode ser muito alto, e inesperado.

~~~~~~~~~~~~***~~~~~~~~~~~~

🌳 20 anos depois, uma família viaja ao coração de Whitestone, onde possuem uma casa de campo, herança de Jonathan Radcliff pelo falecido avô Salomon. John é casado com Martha com a qual tem um filho pequeno, que aos quatro anos fora diagnosticado com início do que parecia ser tuberculose e por isso nunca pode viajar para aquela casa, por esse motivo esse ano seria diferente para aquela família, porque seu filho George parecia bem melhor. A doença do menino, que parecia simples mas que também possuía outros sintomas, talvez fosse algo hereditário, mas o importante era que George agora parecia estar curado com o contato com a natureza. 

🐺 Durante a estadia no lugar, de apenas um dia, eles têm uma grande surpresa, pois, segundo os guardas florestais que cuidavam do lugar, parece que algum lobisomem estaria atacando os animais. E, de uma hora pra outra, o que era pra ser um verão tranquilo em família acabou se transformando em um filme de terror quando o céu mostrou uma bela de uma lua cheia e a noite ecoou os uivos de um animal que, com certeza, seria muito maior que um lobo. Então a família Radcliff vai descobrir que a lenda do último lobisomem de Whistestone está bem viva. Será que eles vão sobreviver ao encontro? Aí vocês só saberão lendo. 😂

🌳 Genteee, fiquei maravilhada com esse conto, ainda mais com o final. A natureza que o Fábio nos apresenta é personificada, ela não é  um lugar pacífico, ela atua como uma personagem que oferece perigo para aqueles que ousam desafiá-la. O homem com toda essa pompa de o rei do pedaço, é desbancado quando se percebe pequeno e frágil em contato com ela.

🐺 A escrita do Fábio é maravilhosa, não tenho nem o que falar sobre isso, vocês já sabem  minha opinião. Ele sabe dosar bem as informações, sabe deixar o leitor ansioso, roendo as unhas, mesmo quando sabemos o que esperar. Mas, como nos contos que já li do Fábio, o final é sempre o que vai nos impactar e completar o sentido que ao longo da história o narrador vai semeando. Conto mais que indicado! 

Classificação: 
🕮🕮🕮🕮🕮💗
Autor: Fábio de Andrade
Conto publicado na Revistinha Pulp
Ano: 2018
Páginas: 15


Conheçam mais do Fábio e sobre seus textos nas seguintes redes sociais:

〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜
Esse post faz parte do projeto que trouxe aqui para o blog, o #AdoteUmEscritorNacional, um incentivo a que leiamos mais nacional e que abramos um espaço para nossos queridos escritores, que fazem de nossos dias uma aventura incrível. \o/\o/\o/\o/ Saibam mais do projeto AQUI e confiram a primeira e a segunda postagem que fiz sobre o autor, uma entrevista bem amor. 
〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜


Abraços quentinhos e até a próxima, se Deus quiser. 💗

24/03/2018

Projeto | Abrace um escritor nacional | Indicação- Sob os olhos do delírio- Fábio de Andrade #Post2

SINOPSE | COMPRA
Oi, gente, como estão? Dando continuidade ao projeto, hoje vim indicar uma antologia através da qual tive contato com escrita do Fábio e passei a amá-la. Vou dar alguns motivos pelos quais vocês deveria ler os contos do autor:

1- Se você é amante de terror e gosta de histórias com show de horrores, surpresas e loucuras, essa antologia é uma boa pedida. Sério, você não vai ser o mesmo após a leitura.

2- O autor não só entra na psique das personagens, mas, através da sua escrita, na do leitor também, explorando nossos medos, principalmente no primeiro e terceiro contos.

3- Gosta de contos com finais surpreendentes? Se sim, esses são perfeitos para você.

A antologia é composta por três contos: 
➸ O horrível fim de José de Alencar 
➸ Em casa
➸ Obmen-01

O primeiro é mais carregado, a escrita do Fábio neste conto se mostra mais exploradora, no sentido de que arranca nosso medo lá do fundo e nos faz arrepiar. O segundo achei mais leve, tira um pouquinho do peso do horror do primeiro e nos prepara pra loucura do terceiro que, por sua vez, é voltado pra ficção científica, explorando, como já antecipei, a temática da loucura.  A escrita do Fábio é maravilhosa, ele constrói histórias que nos tocam, não por ser dramáticas, mas por ser horripilantes, então o terror/horror se torna quase palpável. Consegui convencê-los? Não? Leiam a resenha que fiz da antologia AQUI e saibam mais detalhes.

Onde obter mais informações sobre o autor e seus textos? 

〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜
Esse post faz parte do projeto que trouxe aqui para o blog, o #AdoteUmEscritorNacional, um incentivo a que leiamos mais nacional e que abramos um espaço para nossos queridos escritores, que fazem de nossos dias uma aventura incrível. \o/\o/\o/\o/ Saibam mais do projeto AQUI e confiram a primeira postagem que fiz sobre o autor, uma entrevista bem amor. 
〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜
Abraços quentinhos e até a próxima, se Deus quiser. 💗

19/03/2018

Projeto | Abrace um escritor nacional | Entrevista- Fábio de Andrade #Post1


👻(Buuu!!!)
Oiiiii, gente, como prometido vim trazer uma entrevista bem bacana que fiz com o Fábio de Andrade. Desde já, aproveito pra agradecer muito a ele pela oportunidade de conhecermos mais um pouquinho sobre ele e sobre seu universo. Muito obrigadaaaaa. O Fábio, esse moço bem-apessoado aí da foto, escreve mais terror e horror, então quem é apaixonado por esses gêneros vai amar demais sua antologia de contos "Sob os olhos do delírio". Leiam e venham surtar comigo (e com o Fábio, que ama conversar  ). Pra conferir a resenha, é só clicar AQUI


〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜

1- Conte-nos um pouquinho sobre você, quem é o Fábio, o que faz, hobbies, enfim...
🗨  Bem, sou um cara normal de Ananindeua que está tentando não morrer nos próximos 30 anos, até agora venho conseguindo isso com um certo êxito. Não tive uma infância marcada por acontecimentos macabros, ou alguma morte que tenha me traumatizado, porém, quando tinha por volta de 16-17 anos, meu melhor amigo se suicidou, não que isso tenha interferido de alguma forma na minha escrita, não! Até porque sei que ele tá bem melhor que eu agora, mas se for colocar isso como acontecimentos marcantes de um período da minha vida, esse seria o primeiro. De resto, foi tudo “normal”. Já tive uma porção de hobbies, sendo que a maior parte deles foram fliperamas e todos os jogos de luta que ganhei e perdi fichas por aí, e hoje a leitura e escrita dominam com facilidade um bom pedaço de mim. Sou estudante de engenharia elétrica que escreve sobre casas mal-assombradas por bonecas que fedem.


2- Fábio, quem lhe conhece sabe que você escreve mais terror e horror. Então, de onde veio essa inspiração? Você se aventurou no gênero propositalmente ou simplesmente fluiu? 
🗨  Eu fui uma criança muito medrosa, tudo graças à duas coisas: O exorcista e Resident Evil. Esse medo ficou lá no canto dele fazendo com que eu demorasse mais do que o normal para dormir. As coisas pioraram quando descobri um vídeo no YouTube e aqui vai um aviso: nunca procurem por “Obedece a la morsa”, foi desde então que as coisas pioraram. O tempo passou, comecei a dormir por mais tempo, mas alguns medos continuaram, contudo agora eram mais toleráveis. Eis que a literatura ganha um espaço muito grande na minha vida, e leio pela primeira vez Psicose do Robert Bloch e após saborear a palavra Fim, eu fechei os olhos rindo e pensando: “Cara, eu consigo fazer isso”, não desmerecendo o trabalho ou tentando me equiparar ao Bloch – até porque seria algo impossível -, mas disse no sentido de não precisar ser um semi-deus para contar uma boa história. Desde então o terror se tornou um tobogã, passando por Poe, Lovecraft, Machado de Assis, King, Radcliff, e misturado com todos os medos do passado, resultou no que escrevo hoje.


3- Quais os autores que mais têm influência na sua escrita? 
🗨 O texto quando fica pronto é o que restou de vários e vários processos de escrita e reescrita. Eu gosto de absorver um pouco de cada autor que admiro e tento aplicar um pouco do que aprendi no que escrevo. De todos que são importantes para mim, devo ressaltar alguns, como Dan Brown, pela sua agilidade e inteligência narrativa, o cara é incrível e a estrutura dos livros dele é mais ainda. Jô Soares e Aluísio de Azevedo pelas ótimas sacadas em trazer críticas de forma muito humorada. Edgar Allan Poe e H.P Lovecraft pelas suas capacidades únicas de representar o medo de diversas formas possíveis, fazendo com que o leitor sinta medo e culpa de ler seus textos. Orwell e Attwood por me fazer acreditar que uma tragédia tem a maior carga de aprendizado nessa vida.


4- Como acontece o seu processo de produção, ou melhor, de onde você tira os elementos para seus textos? 
🗨 Depende um pouco do destino final dele. Se é algo que tenha um tema já específico, eu gosto de trazer elementos conhecidos de formas e percepções diferentes, porém quando é um texto criado desde o início, não tendo limite em nenhum aspecto, eu começo com o argumento da obra e me faço algumas perguntas como: “o que eu pretendo passar com ela? Qual a mensagem que eu quero que entendam no final do texto? ”, mas há casos onde não tem mensagem alguma ou fica apenas subentendida. Depois parto para o tema, cenário e enredo, tendo essas quatro coisas já definidas, começo as pesquisas sobre os assuntos. Gosto de escrever a respeito de coisas que não tenho muito conhecimento, isso me força a temer mais o novo caminho que vou trilando, aprendendo algo novo todos os dias, estimulando a criatividade fazendo com que isso acarrete positivamente na escrita. Durante a pesquisa eu já penso na estrutura da história, encaixando os modelos que já conheço ou experimentando coisas novas que surgem na hora. Quando já tenho tudo isso pronto, inicio a escrita. Isso é para algo maior como romances e novelas, mas quando escrevo contos, na maioria das vezes gosto de escrever sem parar, sem saber para onde vou, apenas com o tema central e o tempo me ajudando.


5- Imagino que assim como muitos, ou todos, escritores você já tenha passado por momentos de bloqueio. O que você faz quando isso acontece? 
🗨 Meu maior bloqueio foi quando estava escrevendo Lia-303, foi horrível. Semanas e semanas escrevendo 20 linhas no máximo. Eu sei que isso ocorreu devido a minha experimentação de estrutura, não que eu tenha errado, mas descobri um jeito de como não fazer o certo. Durante esse período de bloqueio, eu parei de escrever e fui consumir coisas que tinha a ver com o tema do livro (livros, filmes, séries e etc.), enfim surgiu fagulhas que encontraram o carvão do terror e incendiaram o texto até o final do livro. Já hoje, tenho um remédio muito bom – para mim - contra o bloqueio criativo: estrutura.


6- Acredito que para quem escreve todo apoio é necessário, seja de onde for. Quais as pessoas que mais lhe incentiva a escrever? 
🗨 Seria de um egocentrismo enorme – e essa não é a intenção – se eu falasse que meu maior incentivador sou eu mesmo pelo único motivo de me sentir muito incomodado por não conseguir chegar ao ponto que almejei, porém, existem pessoas que sem elas, esse ponto nunca existiria de forma alguma. A primeira é a Thaís, minha namorada, e por ela não ter um contato mais profundo – ou obcecado como eu - com literatura, as críticas dela são as mais importantes possíveis (nesse momento de escrita), pelo simples fato de caso eu faça ela gostar do que escrevo, já é meio caminho andando. Isso é um ensinamento no qual King passa em seu livro Sobre a Escrita quando fala sobre leitores ideais. Não posso esquecer de alguns amigos que sempre estão do meu lado em qualquer coisa que me dedico a fazer, seria impossível não falar do Marlon Maia, que é o cara mais criativo que conheço, Yuri “Lander” Victor, que me acompanha em qualquer “aventura”; Lenmarck Andrade, um grande amigo e escritor que, apesar do pouco tempo de amizade, encontrei nele um irmão – nosso sobrenome não tem nada a ver com isso - que vou levar para o resto da vida e não podia esquecer de pessoas como você Mi, que foram tão simpáticas e me abraçaram de uma forma tão carinhosa em ceder um espaço pra ler meu livro. Tive o prazer de ler palavras tão positivas a respeito de Sob os olhos do delírio, e esse é um tipo de incentivo que me faz escrever todos os dias.


7- Nos conta um pouco sobre como é ser escritor no Brasil. Quais as dificuldades que você já enfrentou, como é o mercado editorial... 
🗨 Esse é um assunto um pouco controverso, porque antes de qualquer coisa você precisa lembrar que existem dois pontos de vistas na jogada: do escritor e da editora, essa última como uma empresa que visa lucro e como consequência desse lucro fornece literatura. Vivemos em um país onde 66% da população não lê e 70% nunca comprou um livro, então uma editora antes de tudo é uma guerreira no meio dessa guerra de páginas e devido esse campo de batalha ser tão disputado, alguns caminhos até ter seu livro publicado acaba sendo bem estreitos. O mercado em si é fechado por natureza, pessoas com contatos tem suas facilidades aumentadas – e não vejo problema algum nisso – e quem não faz parte desse primeiro grupo precisa se encaixar em um certo “padrão” para ser notado, além de ter um ótimo livro, é claro. A maior dificuldade nisso é se encaixar nesse modelo de escritor, antes você ficava famoso ao ser publicado, hoje você precisa ser famoso para ser publicado. Essa é uma máxima que não resume, em si, o mercado editorial brasileiro, mas nela existe um fator muito verdadeiro disso tudo, você precisa ser uma aposta lucrativa para as editoras. Fora que existem diversos outros problemas, mas hoje, na minha opinião, esses são os maiores, e se você tem o sonho de ser escritor, mas acha que o mercado é o grande vilão e não se adaptaria para entrar nele, só tenho uma coisa a dizer: boa sorte.


8- Sempre que converso com você, sempre está sorrindo (virtualmente, claro, haha), alegre. O que você faz nos momentos mais difíceis ou a quem você recorre pra manter essa alegria? 
🗨 Eu não levo a vida tão a sério quanto deveria. Gosto de ver as coisas engraçadas por trás das trágicas, então na maioria das vezes que os problemas surgem eu gosto de me consolar dessa forma, mas quando as coisas apertam de vez, existe uma pessoa a quem eu recorro ao colo: Thaís.


9- Conte-nos sobre projetos futuros. Algum livro vindo por aí, algum plano pra sua vida pessoal... 
🗨Eu estou com uma parceria muito forte com o Lenmarck em diversos ramos, desde livros até podcasts que por sinal escutem o Barzinho dos Andrade e o Soodacast, programas que a gente participa. A revisão de Lia-303 está acontecendo com o intuito de ser publicado de forma tradicional. Tô pensando também em mais uma antologia no mesmo formato de Sob os olhos do delírio e no meio de tudo isso tem uma faísca de thriller surgindo por aí. Fui convidado também – algo que me deixou extremamente feliz – para participar de duas antologias que vão sair esse ano, uma é uma revista digital organizado pelo Teatro de Apartamento, com uma temática pulp; a primeira edição é sobre monstros e tem um conto meu de lobisomens vindo por aí. O outro convite veio do escritor e conterrâneo Andrei Simões para uma antologia, não posso dar muitas informações a respeito, mas aguardem porque vai ser incrível!


10- Rapidamente, responde: 
* Um lugar: Meu quarto 
* Uma pessoa: Thaís 
* Uma cor: Cinza 
* Um escritor: Edgar Allan Poe 
* Uma paixão: Escrever 
* Uma bebida: Cerveja 
* Uma comida: Bife empanado 
* Uma dúvida: Quando um cego sabe a hora de parar de se limpar? 
* Uma certeza: D.C é melhor que Marvel.

〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜❤❤❤〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜〜

Conheçam o Fábio acessando o  INSTAGRAM, FACEBOOK OU SITE.  

Ahhh, gente, digam se não é uma pessoa muito amor o Fábio? Amei fazer a entrevista com ele e abrir esse espaço pra um autor que já curto muito. Daqui pro final de semana, lhes trago mais uma postagem relacionada a ele. Aguardem. E me digam, o que acharam?


Esse post faz parte do projeto que adotei aqui no blog, o #AdoteUmEscritorNacional. Não é um projeto inventado por mim, como já falei na primeira postagem, existe em várias redes sociais (com outros nomes) e é um incentivo a que leiamos mais nacional e que abramos um espaço para nossos queridos escritores, que fazem de nossos dias uma aventura incrível. \o/\o/\o/\o/

Abraços quentinhos e até a próxima, se Deus quiser. 💗

17/03/2018

♥ Projeto | Abrace um escritor nacional ♥



Oi, gente! Como vocês estão? 
Desde um tempo vim pensando em fazer ou trazer pro blog algum projeto que apoie os autores nacionais. Sabemos da dificuldade que é ser escritor no nosso país e acredito que toda ajuda é bem-vinda. 

Falei com um autor e ele concordou em ser o primeiro do projeto. O intuito é que todo mês, a partir desse, traga pra vocês um escritor e 4 posts sobre ele para que conheçam mais sobre seu universo, pessoal e literário. Não é um projeto inédito nem nada, existem projetos assim, tanto em blogs como em Igs literários.

Sem mais delonga, nosso autor do mês é o Fábio de Andrade. Uma pessoa maravilhosa, escritor talentoso, e escreve um dos meus gêneros favoritos: terror. Hoje vou deixar apenas a biografia do Fábio e segunda-feira lhes trago a entrevista que fiz com ele. 💗 

Imagem retirada da página do Fábio.
Fábio: Nascido e criado em Ananindeua, Fábio de Andrade é estudante de Engenharia elétrica, autor de Sob os olhos do delírio, hoster dos podcasts: Soodacast e Barzinho dos Andrade. Acredita que o terror tem como principal objetivo alertar o ser humano de que toda certeza é um mero luxo quando se anda no escuro. Vive em uma casa assombrada, mas o que lhe causa mais estranheza é o fato do seu cachorro – Juca – ter aprendido a arrotar quando quer chamar atenção.

Conheçam mais sobre o Fábio acessando o INSTAGRAM, FACEBOOK OU SITE dele. Apoiem esse projeto também, vamos abraçar muitos escritores. Usem a hastag #AdoteUmEscritorNacional pra gente interagir.

Um abraço quentinho em vocês e até a próxima, se Deus quiser.  💗

10/03/2018

Livros | Autoras que inspiram | Parte 2


Com um dia de atraso, trago a última parte da postagem em especial ao dia das mulheres. Fiz a parte 1 no dia 8, mostrando 5 livros escritos por mulheres e hoje vou mostrar 5 escritoras que me inspiram e que eu admiro muito. Poderia citar mais, mas vou ficar apenas com essas. De novo lhes digo, não coloquei por importância nem nada, apenas fui lembrando e pondo. Espero que gostem.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~🎕🎕🎕🎕~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

🎕Bella Crestan é uma típica paulista, nascida em São Caetano do Sul. Formada em Administração em Comércio Exterior com MBA em Sustentabilidade e Gestão Ambiental, trabalha no departamento financeiro de uma editora. Mas quis o destino que aos 25 anos sua paixão pela literatura falasse mais alto que os números, então dedicou-se a escrever contos e narrativas do cotidiano em um blog e investiu parte do seu tempo em aulas de escrita criativa. Sob o olhar grego é seu romance de estreia, e de cara já envolve os leitores ao misturar uma história de amizade e amor numa ilha paradisíaca com o drama do assédio psicológico. Uma leitura fácil que diverte e faz refletir.

A Bella é maravilhosa, tem uma escrita dinámica e muito divertida. Seus personagens são bem cativantes. Recomendo demais seu livro Sob o olhar grego. 

Para conhecer mais a autora ou saber sobre seu livro, acesse suas redes sociais clicando nos ícones abaixo:

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~🎕🎕🎕🎕~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

🎕Rosa Mattos é gaúcha de Torres e mora atualmente em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Em 2011 publicou seu primeiro livro, intitulado Coletânea de Contos, com uma seleção de oitenta textos, entre contos e prosas.  No ano seguinte, lançou Sopros de uma Flor, com poemas ilustrados. Ambos pelo Clube de Autores. Paredes Vivas foi sua estreia como romancista em 2013, pela Editora Dracaena. Um romance sobrenatural, com atmosfera de terror psicológico. Participou das antologias Mentes Inquietas e Horas Sombrias, da Andross Editora, com um conto de terror e outro medieval, em 2013 e 2014. O medo de Virgília foi seu segundo romance, publicado em 2014 pela Editora Selo Jovem. Um thriller psicológico. Uma história de amor, mistérios e loucuras. Em 2015 lançou Perto do Fim, uma publicação independente a venda no site da Amazon. Romance, misto de drama e suspense. Uma história de amor e superação. Em 2017 o livro será publicado pela Editora Selo Jovem. Mantém o blog Contos da Rosa, onde divulga seus trabalhos. 
Ahh, gente, amo o universo que a Rosa constrói em seus livros. Li dois livros dela e simplesmente fiquei apaixonada pela escrita da autora. Então se você gosta de livros com uma pegada mais realista, com personagens humanos, os dela são mais que recomendados, além da escrita estar recheada de momentos de tensão e de mistério.

❤ CONHEÇAM MAIS SOBRE A AUTORA E SUAS OBRAS ❤:


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~🎕🎕🎕🎕~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

🎕Jane Austen (Steventon, Inglaterra, 16 de dezembro de 1775—Winchester, Inglaterra, 18 de julho de 1817) foi uma proeminente escritora inglesa. A ironia que utilizou para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.

Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à nobreza agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. A inocência das obras de Austen é apenas aparente, e pode ser interpretada de várias maneiras. Os meios acadêmicos a têm considerado uma escritora conservadora, apesar de a crítica feminista atual reconhecer em suas obras uma dramatização do pensamento de Mary Wollstonecraft sobre a educação da mulher. (Wikipédia)

Eu tive pouco contato com as obras da Jane, mas o suficiente pra me fazer amá-la, principalmente por ela escrever um dos meus gêneros favoritos, romances de época, e não ser eróticos, que é um tipo de leitura que me incomoda. Então, sempre que quiser recorrer aos romances de época, com certeza irei correndo aos livros da Jane sem medo.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~🎕🎕🎕🎕~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


🎕Agatha Mary Clarissa Christie DBE (Inglaterra, Reino Unido, 15 de setembro de 1890 — Wallingford, Oxfordshire, Inglaterra, Reino Unido, 12 de janeiro de 1976), popularmente conhecida como Agatha Christie, foi uma escritora britânica que atuou como romancista, contista, dramaturga e poetisa. Destacou-se no subgênero romance policial, tendo ganhado popularmente, em vida, a alcunha de "Rainha/Dama do Crime" ("Queen/Lady of Crime", no original em inglês). Durante sua carreira, publicou mais de oitenta livros, alguns sob o pseudônimo de Mary Westmacott. Segundo o Guiness Book, Christie é a romancista mais bem sucedida da história da literatura popular mundial em número total de livros vendidos, uma vez que suas obras, juntas, venderam cerca de quatro bilhões de cópias ao longo dos séculos XX e XXI, cujos números totais só ficam atrás das obras vendidas do dramaturgo e poeta William Shakespeare e da Bíblia.  Em 1971, foi condecorada pela rainha do Reino Unido, Elizabeth II, com o título de "Dame" (Dama) do Império Britânico, uma honra que consiste no equivalente feminino ao sir. No total, escreveu setenta e dois romances, sendo sessenta e seis deles do gênero romance policial e inúmeros contos, reunidos em quatorze coletâneas. É constantemente referida por seus emblemáticos personagens, incluindo o detetive belga Hercule Poirot e a idosa detetive amadora Jane Marple, ou Miss Marple. (Wikipédia)

Da Agatha li apenas A Mansão Hollow e fiquei admirada com a escrita e genialidade da escritora, por isso ela faz parte dessa lista.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~🎕🎕 🎕🎕~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

🎕Paula Pimenta (Belo Horizonte, 2 de junho de 1975), com mais de um milhão de livros vendidos, é uma das maiores escritoras brasileiras, conhecida principalmente por suas séries de livros Fazendo Meu Filme e Minha Vida Fora de Série. Todos os seus livros foram vendidos para o cinema e TV e encontram-se em pré-produção. Foi escolhida pela revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes em 2012. (Wikipédia)

Já li dois livros da Paula e amei. Ela escreve também muitas releituras de contos de fadas que são um amor. Seu público alvo é o infanto-juvenil, mas que adulto não ama um livro levinho e com um lindo final feliz?

Gente, espero que tenha gostado. Me contem, conhecem alguma dessas escritoras? Já leram algum livro delas?

Beijos e até a próxima, se Deus quiser. 💗

07/03/2018

Livros | Livros escritos por mulheres | Parte 1

Imagem retirada do PINTREST
 Olá, gente, tudo bem?
Então, aproveitando o Dia Internacional da Mulher pra indicar uns livros escritos por mulheres que eu amei. Escolhi os que li e que reamente gostei. Não está por ordem de importância nem nada, só fui colocando a medida que a memória ajudou, haha. Vou deixar a sinopse pra vocês e o link para as resenhas. Dividi o post em 2 partes. Amanhã ou sexta trago a outra.


🎕Ela roubou uma vida. Agora deve pagar com o coração. Nesse misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados. (RESENHA)




🐲 Mariane, uma jovem universitária no auge de seus 20 anos, tem uma vida pacata e comum. Desde pequena ela sonha com criaturas místicas e sobrenaturais. No entanto, esses sonhos começam a ficar cada vez mais reais. A rotina que ela conhecia é completamente abalada quando um garoto misterioso entra em sua vida. O nome dele é Andrey, e parece ser perigoso – não que isso realmente importe para Mariane, já que ela se sente cada vez mais atraída por aqueles olhos verdes e profundos. Quando Andrey resolve abrir o jogo e revelar quem realmente é, o mundo da garota vira de cabeça para baixo e ela se vê envolvida numa guerra sobrenatural, na qual parece ser a chave da vitória dos dragões sobre os giants – criaturas místicas das quais, até então, ninguém ouvira falar. Mas há mais mistérios ao redor de Mariane do que ser simplesmente a “arma secreta”. Dragões e humanos precisam se unir para vencer um inimigo em comum. E em meio ao caos surge um amor improvável. Sangue e vermes. (RESENHA)


 
📖Novo romance da autora que já vendeu mais de 60 mil exemplares no Brasil Dotado de beleza e inteligência fora do comum, Luca Vero foi visto com desconfiança durante toda a vida... até que o jovem é acusado de heresia e expulso de seu monastério. Para escapar da fogueira, aceita se tornar membro de uma Ordem misteriosa cujo objetivo é investigar estranhos relatos que assombram o mundo cristão: feras, possessões. Dono de mente analítica e surpreendentemente cético para um religioso, o rapaz está prestes, no entanto, a se tornar vítima do próprio coração. Isolde, de 17 anos, fora aprisionada como abadessa de um convento cujas freiras sofrem constantes ataques de histeria e estranhas visões. Todas as pistas apontam para bruxaria e colocam a abadessa como bode expiatório. Mas como Luca pode mandar para a fogueira a jovem que faz arder seu coração? Aliados improváveis, Isolde e Luca precisam aprender a confiar um no outro e em seus próprios instintos para vencer os inimigos e combater a crescente atração que sentem um pelo outro. Ou podem acabar num inferno jamais imaginado. (RESENHA)



🏰Após uma longa guerra, Humanos, Sombrios, Licans e Leviatãs tentam conviver em relativa paz. Um tratado entre as raças foi a solução que os líderes encontraram para cessar essa guerra. Desde então o mundo mudou completamente e as mulheres viraram moeda de troca. A única sobrevivente de uma chacina causada pela crueldade humana é salva pelos Sombrios, e com eles, ela descobre que pode ser mais que uma simples servil ou escrava de um homem. Para salvar os sombrios da extinção, ela enfrentará tudo, até mesmo voltar ao reino humano para noivar com o homem que é a causa de seus pesadelos. Tudo isso porque ela sabe que esse é o único meio de descobrir quais os planos dos humanos para as outras raças. Em meio a tantos perigos e investigações, o amor começa a florescer. Mas Diana está quebrada, viu o que um homem pode fazer a uma mulher, e não consegue se entregar completamente ao sentimento. Mas um sombrio sabe esperar, e ela vai descobrir o que é ser amada incondicionalmente, mas isso... Somente quando estiver pronta. (RESENHA)
 


 
Em Helementtarë, Reino dos semielfos, quando o Rei ou a Rainha decide deixar seu posto, eles invocam seus criadores – a Mãe Natureza e o Elemento Maior – para ajudarem na Seleção que elegerá o próximo monarca. Então, a Natureza escolhe dez semielfos e dez semielfas, que possuem um dos quatro Dons Elementais principais (Água, Fogo, Terra e Ar), presenteando-os com uma moeda dourada para indicar que foram selecionados. Arwen encontrou essa moeda e nunca se sentiu tão perdida. A jovem semielfa órfã sempre achou que seu dom fosse Rocha, até que a Natureza a destinou àquele objeto dourado, convocando-a para a Seleção – o evento mais importante do Reino. Agora, além de precisar descobrir qual é o seu verdadeiro Dom Elemental, também terá de desvendar como encarar provas que nunca imaginou enfrentar, e quem sabe assim finalmente descobrir suas origens. (RESENHA)


Bom, gente, por hoje essa é a indicação. Conhecem ou já leram algum desses livros? Me contem tudo! Feliz dia das mulheres para as minhas leitoras lindas e pras miinhas escritoras parceiras.

Um abração e té a próxima, se Deus quiser. 💗
© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.