menu

13/11/2018

Resenha | O Quarto de Azulejos - Tonho França

SINOPSE | COMPRA
Oi, pessoas!
Hoje a resenha é de um livro de poesia que li faz um tempoooo. Estou devendo ela há séculos, mas estava travada para resenhas de livros de poemas, acreditam?

Mas destravei. Antes tarde que nunca, né? Haha. O livro foi concedido pela Editora Penalux, uma editora amor e, por sorte, parceira do blog. Vão lá conhecê-la! Cliquem AQUI.

O Quarto de Azulejos é dividido em duas partes: Sobre a Nudez das Paredes e Olhares Para Além do Dia a Dia. Ao todo são 62 poemas. A poesia de Tonho França, que aborda temas diversos, é íntima, cheia de significados. O poeta abre a porta de seu quarto para que contemplemos o mundo desde sua perspectiva.


Os poemas exalam amor, tristeza, solidão, e falam de eternidade. Nos deparamos com uma poesia que nos deixa um gosto de recordações, de desejo por um amanhã melhor, como podemos ver em "Caminhos" (p.24):

"[...] quem sabe, amanhã, um café, um cigarro/ ou até um tango argentino/  um verso novo, a brisa do mar.../  e me levante mais cedo/ ame mais cedo/ me perceba mais / e até sorria/ colhendo pelas calçadas/ auroras de poesia"

Podemos ver, muitas vez, um eu-lírico desprovido de esperança, mas que ao mesmo tempo quer acreditar "na eternidade do que não vê".

Os poemas de Tonho França cantam as memórias vividas com um gosto de noite e falam das diversas faces do eu-lírico, de uma alma que não é feita de uma coisa só, mas de várias. Eles se limitam, principalmente na primeira parte (Sobre a Nudez das Paredes), à subjetividade da voz que os canta e mostram as cores neutras que compõem sua alma. Não é uma poesia que fala de problemas alheios, mas das aflições do próprio ser, de seus sentimentos a respeito de algumas coisas. Nos sentimos como se o poeta rasgasse o papel de parede de seu quarto e mostrasse o que há por trás dele.


Na segunda parte (Olhares Para Além do Dia a Dia), já não ficamos reclusos à alma, aos sentimentos, do eu-lírico, conseguimos enxergar as coisa lá de fora, é como se ele nos conduzisse a uma  janela e pudéssemos contemplar situações e objetos que se transformam em poesia, tiramos os olhos da sua alma para olhar o que há nas outras.

Aqui, as coisas cotidianas ganham outro tom e os poemas, muitos deles, adquirem uma estrutura irregular, formando, muitas vezes, o objeto/elemento do qual falam. O autor brinca com as palavras, tanto em um sentido estrutural como fonético, construindo poemas visuais, sensoriais. As coisas são despidas do que aparentam ser para mostrar a sua essência.

Realmente vemos as coisas além do que elas aparentam; as pessoas, os objetos, ganham sentidos que só mesmo uma pessoa revestida de poesia poderia ver e, sobretudo, escrever.

A poesia de Tonho transborda alma, é íntima, e nos convida a entrar, de corpo e alma, no Quarto de Azulejos e sentir e ver do que ele é feito.

Livro mais que recomendado. Além da edição linda, a Penalux sempre arrasa, temos vários desenhos de Jurandir Fábio, como esses das duas últimas fotos.

Classificação: 
🕮🕮🕮🕮🕮
Autor: Tonho França
Editora: Penalux
Ano: 2014
Páginas: 110

7 comentários:

  1. Não sou uma grande leitora de poesia, o único que tenho na minha estante é um livro de Sonetos de Vinícius de Moraes, preciso me dedicar um pouco mais a esse gênero.
    O trecho que você postou me deixou interessada em ler a obra desse autor.
    E que capa linda, a edição realmente está um arraso, não conhecia essa editora.

    ResponderExcluir
  2. Oie!!
    Eu amei a capa e as ilustrações.
    Sou apaixonada por poesias e gostei de como o autor dividiu o livro. Parece tocar o fundo da nossa alma e eu adoro quando acontece isso.
    Já anotei essa dica, quero ler!!

    bjs
    Fernanda

    ResponderExcluir
  3. Ei! Tudo bem?
    Eu amo livros de poemas e, agora sabendo da existência desse, vou devorar essa obra. Adoro quando os temas se voltam para o cotidiano, pois as palavras trazem verdades. Ótima indicação!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Mih.
    Eu quase nunca leio livros de poemas, mas gostei tanto da premissa dessa obra, que estou com uma vontade imensa de realizar a leitura. Pois gosto de livros que retratem a vida como ela é, por assim dizer.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  5. Oi,tudo bem ?

    Nossa sou apaixonada por poesias, o último livro que li foi de poesia. Então achar essa indicação foi uma grata surpresa,gostei muito de ter um quote destacado e das fotos a qual mostra uma ilustração...assim conheço melhor o produto e com toda certeza é uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
  6. Poesias são um sopro de vida, né? Eu adoro parar pra ler um pouco de poesia de vez em quando, ajudam a respirar e colocam as emoções mais ou menos em ordem. Adorei a sua resenha e indicação. =)

    Beijos,
    Isa
    taglibraryisa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá! Seja muito bem-vindo a este espaço, que é nosso! Se seguir o blog ou se comentar, deixe seu link para que possamos segui-lo e retribuir a visita. Ao deixar seu comentário, clique em "Notifique-me" para podermos conversar; são bem-vindas críticas construtivas, mas não xingamentos.
Um abração!

© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.