menu

Image Map

02/03/2016

A Cartomante- Machado de Assis

Oi, pessoas! 

Bom, hoje a resenha será de um conto o qual eu gosto muito. Esses dias estava tendo aula de Teoria da Literatura e esse conto foi analisado e eu fiquei impressionada, como sempre fico nas aulas de Literatura, haha.

O conto, A cartomante, que vou resenhar, com base nas análises feitas na sala de aula, é do escritor tão conhecido e amado Machado de Assis. Vamos à resenha!


A Cartomante vai contar a história sobre a bela Rita, de 30 anos de idade, o jovem Camilo, de 26 anos e o sério Vilela, de 29 anos, os quais vivem uma aventura amorosa. Vilela e Camilo se conheciam desde crianças, tinham uma relação de irmãos.

"Hamlet observa a Horácio que há mais cousas no céu e na terra do que sonha a nossa filosofia."

É exatamente com a frase acima que o conto começa, com Rita e Camilo, numa sexta-feira de novembro de 1869, discutindo sobre o fato de ela ter ido a uma cartomante para averiguar o por quê dele ter se afastado dela. E, então, ele lhe confessa que têm recebido cartas anônimas de alguém que está sabendo sobre o caso deles.

"—a virtude é preguiçosa e avara, não gasta tempo nem papel; só o interesse é ativo e pródigo."

A narrativa, em terceira pessoa, começa conflituosa, com um narrador que a princípio não participa da história. O triângulo amoroso que temos vai servir para sustentação da narrativa, é dizer, para o desequilíbrio e o conflito, pois, assim, a história vai render mais.

Machado tem todo um cuidado em descrever os personagens e os lugares a fim de nos passar a sensação de verossimilhança e compõe uma narrativa que ora está no presente, ora no passado para nos contar com detalhes o que realmente aconteceu, é o que os críticos literários vão chamar de flashback.

Em alguns momentos podemos notar que o narrador deixa de ser um mero observador para ser testemunha. E também podemos notar o jogo que o autor faz com o tempo, além de descrever com precisão o estado psicológico dos personagens, o que nos faz nos aproximarmos e sentirmos a história com muito mais profundidade e emoção.

O que começou conflituoso aos poucos vai se abrandando até que o conflito cessa. Camilo, que acreditava que as cartas anônimas eram de Vilela, após ter ido à cartomante para averiguar porque o amigo o chamou depressa, volta a acreditar que tudo está bem e com ele sentimos essa tranquilidade. Mas, ao decorrer de todo o conto, o narrador dá sinais do que pode acontecer, mas só percebemos isso quando lemos mais de uma vez. 

O conto é supercurtinho, se eu escrever mais alguma coisa vou acabar dando spoilers. Para quem ainda não leu, recomendo a leitura.
Abraço!

Classificação:
Autor: Machado de Assis

6 comentários:

  1. Ameii o seu blog, e agradeço por sua visitinha no meu. Já estou seguindo tá!!

    http://coisasaserem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa, sara! Bjos.
      Obrigada também pela visita e por sua participação. ^^

      Excluir
  2. Olá! Obrigada por visitar meu blog!

    Acredita que apesar de gostar de literatura, tenho trauma com Machado de Assis porque no colegial fomos "obrigados" a ler "Memórias Póstumas de Brás Cubas" - dali em diante nunca mais na vida - sim na vida e infelizmente - quis ler algo relacionado com Machado, triste, não!

    Adorei sua resenha, mas ainda não me convenceu a ler Machado (um trauma que um dia eu terei que superar!)


    Bj
    Keyla - http://www.blogleituraterapia.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Keyla, obrigada também pela visita.
      Ahh, que pena que você pegou trauma. Machado escreve sublimemente, mas entendo essa coisa de você ser "obrigado a ler essa ou aquela obra", a gente acaba pegando trauma mesmo. Espero que um dia você supere.
      Bjos. ^^

      Excluir

Olá! Seja muito bem-vindo a este espaço, que é nosso!
Deixe seu comentário e clique em "Notifique-me" para podermos conversar; são bem-vindas críticas construtivas, mas não xingamentos. Deixe também o link de seu blog, se tiver, para que possamos lhe retribuir a visita e segui-lo.
Um abração!

© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.