menu

Image Map

29/03/2016

Os ratos do quarto ao lado- Jefferson Sarmento

Estou superatrasada com esta resenha e quero pedir perdão ao Jefferson pela demora. Esse é o segundo livro do blog em parceria com o autor e queria deixar impressa aqui minha imensa gratidão pela confiança e a oportunidade de conhecer suas obras. A primeira que tive contato, que na verdade é o livro mais recente publicado pelo Jefferson Sarmento, foi Alice em silêncio. E agora "Os ratos do quarto ao lado". Mas, sem mais enrolação, vamos ao livro!

Sinopse:
Remo era uma cidade tranquila até aquela manhã. A descoberta do corpo de um garoto numa velha serralheria, mutilado, exposto como num altar de magia negra, aparentemente violentado, revolve as cinzas de velhas lembranças sepultadas. Alonso Fraga, comandando um pequeno jornal local, passeia por essas lembranças, sendo protagonista de histórias macabras da própria infância que confundem-se de maneira perturbadora com o acontecimentos. Enquanto isso, alimenta uma paixão fantasiosa por sua vizinha Beatriz, cujo casamento parece ruir em cacos, rápida e mortalmente. À medida que novos assassinatos são descobertos, a cidade mergulha numa soturna condição de embriaguez e perplexidade. O criminoso, que antes parecia circundar Remo como um carniceiro covarde, entra em seus limites, circula por suas ruas, invade seus quintais. E pode estar dentro de suas paredes a qualquer instante. De repente, parece não haver mais tempo para que o quebra-cabeças de lembranças e símbolos desarranjados seja resolvido.
O livro, em terceira pessoa, gira em torno de Alonso e Beatriz.  A cada passo que damos, a cada revirar de páginas, mais personagens são introduzidos à trama, mas sentimos uma atenção maior em relação a Alonso, um jornalista da cidade de Remo, e Beatriz, uma professora de História da mesma cidade. E não posso esquecer de André, o novo jornalista admitido no jornal, Correio a Remo, após a demissão do asqueroso Cláudio Madeira. Ele também ganha uma atenção especial e é ele quem acende o pavio da narrativa, quando ler, você entenderá do que estou falando. Confesso que fiquei um pouco receosa com a introdução de tantos personagens, mas a verdade é que cada um deles são necessários para a trama, é como um conector de algum ponto solto.

A narrativa é linear, ou seja, segue uma linha cronológica. É descritiva (característica do gênero romance policial; todo detalhe é importante, acredite em mim), mas isso não a deixa cansativa, pelo contrário, nos deixa ávidos por mais. Esse foi um livro bastante instigante para mim, e isso é muito bom. Não li muitos livros do gênero, de modo que quando li esse, fui ainda mais desafiada por não estar acostumada ao gênero como estou a outros. Não falo isso no sentido de que não precise dar atenção a livros de fantasia ou romance porque já me adaptei ao gênero, eles sempre nos traz algo novo, mas é o tipo que já está automatizado e quando leio um gênero diferente, que não seja os citados, ocorre uma desautomatização, um desvio. E isso é  maravilhoso. 

Mas enfim, gente, Alonso Fraga trabalha no jornal Correio a Remo e se depara com assassinatos misteriosos e, aparentemente, muito bem articulados. Ele tem uma paixão pela vizinha Beatriz que, por sua vez, vive infeliz num casamento infeliz. A única coisa boa é seu filho Lucas, um garotinho esperto e muito amável. 

A história vai se desenrolando à medida que se investiga esses assassinatos brutais de crianças. Um detalhe: o assassino só escolhe meninos e é tão minucioso nos detalhes para que seus crimes sejam iguais, o que vai resultar em algo extremamente aterrorizante e macabro.

Todos esses crimes horríveis mexe com a cidade, mas é quando Lucas é raptado que a bomba realmente explode. Fiquei tão desorientada nessa parte e senti de perto o medo de Beatriz e de Alonso. Mas descubram vocês mesmos o que acontece. ;)

Quando descobrimos os motivos dos assassinatos, nossa, que cara terrível! Se eu escrever mais alguma coisa vou acabar dando spoilers.
Confesso que desconfiei de um montão de gente, mas não desconfiei de quem realmente deveria, não sou boa em investigações, apesar de o narrador dar pistas o tempo todo. Até mesmo através do diário, encontrado por Beatriz no antigo orfanato da cidade, mas mesmo assim não consegui desvendar antes que o narrador revelasse a face do criminoso. Mas isso não me deixou frustrada, eu amo ser confrontada e amo livros que exigem mais de mim. E "os ratos do quarto ao lado" foi um desses. A única coisa que me incomodou um pouco foi a letra pequena, mas quanto às demais coisas, o livro é maravilhoso e o recomendo.


Classificação:

Autor: Jefferson Sarmento
Editora: LivroPronto
Ano:2008
Páginas: 352


Jefferson é autor dos livros Alice em SilêncioVelhos Segredos de Morte e Pecados Sem Perdão e de Os Ratos do Quarto ao Lado.

6 comentários:

  1. Me interessei pelo livro! Adoro histórias de assassinatos e investigações!

    amo-os-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Renata. O livro é muito bom, você não irá se arrepender.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Nunca li um livro de mistério, e esse parece ser ótimo para começar! Pelo jeito que você fala, ele te envolve por completo!
    Boa resenha, Mirelle!

    ResponderExcluir
  3. Oieee... Te indiquei pra uma TAG, passa lá no meu cantinho pra conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cecy. Vou dar uma olhada e assim que eu puder, postarei no blog.
      Bjos.

      Excluir

Olá! Seja muito bem-vindo a este espaço, que é nosso!
Deixe seu comentário e clique em "Notifique-me" para podermos conversar; são bem-vindas críticas construtivas, mas não xingamentos. Deixe também o link de seu blog, se tiver, para que possamos lhe retribuir a visita e segui-lo.
Um abração!

© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.