menu

Image Map

11/02/2016

Panlásia- Janaina Alves

Oi, gente! Como estão? Espero que bem.
Hoje venho aqui trazer mais uma resenha de um livro nacional. Ele se chama Panlásia e foi escrito por Janaina Alves. Meu amigo me indicou quando viu, ele disse que era a minha cara, e era mesmo, haha. Então, participando de um Book Tour, onde cada membro do grupo tinha quinze dias para ler o livro e passá-lo adiante, para o próximo destinatário, tive o imenso prazer de ler Panlásia e vim aqui contar um pouco de minhas impressões a respeito dele. Clique AQUI para ler a sinopse. Você pode encontrar informações sobre o livro e a autora no Facebook e no Clube de Autores.

A história gira em torno de duas irmãs, Sara, a princesa mais nova e a mais querida por seu pai, o rei Estevam, e a vingativa Lavínia, a princesa mais velha. As duas vivem com o pai em Panlásia, no Reino de Kandil. O reino é constituído por cinco Cidades: a Cidade Mãe, que é Panlásia, e as Cidades Irmãs: Prisma, Pelini, Paudar e Beller, esta última conhecida também por Cidade da Traição, pois é para lá que são enviados aqueles que são contrários aos princípios do Reino ou comentem algum crime. Mas nem tudo é o que parece ser.

Em um mundo distópico, acompanhamos a história e a trajetória dessas duas irmãs. Lavínia, a princípio, parece apenas uma pessoa cruel, mas ao longo das páginas percebemos que ela é amargurada e guarda um enorme rancor de sua irmã  por algo que aconteceu no passado. Ela age em prol de um amor que lhe tira a paz, e é por esse amor , a fim de salvá-lo, que quer a Coroa a todo custo, passando por cima de quem for pra obtê-la. Desde então, ela faz de tudo para que Sara sinta na pele sua dor, seu ódio e mágoa. E um dos castigos que ela impõe à irmã é seu banimento para a Cidade da Traição acusada de matar seu próprio pai, o rei.

Mas o que era pra ser torturas e sofrimento, pois é isso que todas as outras Cidades acreditam que acontece em Beller, se torna uma oportunidade de descoberta. É lá que Sara descobre tudo sobre seu pai e seus antepassados. Foi preciso estar em outro lugar para se dar conta da mentira que era a sua vida de aparente paz quando estava em Palásia.


"Depois de alguns anos aqui até você vai saber achar seu próprio caminho. É claro que, de vez em quando, nós nos perdemos, mas sempre acabamos voltando para o caminho certo."

Aos poucos, com a ajuda das pessoas que lhe apoia— Laura, Pedro, Guilherme e Daniel, que foram as pessoas que acolheram-na e trataram de suas feridas, a princesa banida encontra seu caminho. É na Cidade da Traição que ela encontra a verdade e coragem para desafiar a irmã.

Então ela retorna para Panlásia, para reclamar aquilo que lhe pertence, para construir, com a ajuda dos habitantes de Beller e, depois, da Cidade Mãe, o reino que sempre achou existir.


"Todos estavam voltando para um lar que os havia rejeitado, e agora eles iriam lhes impor a sua vontade."

Mas Sara tem muitos desafios pela frente, e um deles é o "ele" que desde o começo é citado no livro. A princípio você fica meio confuso, mas depois começa a juntar as peças e as coisas vão ganhando sentido. Eu não descobri o mistério desse "ele" até a autora contar, mas eu já imaginava algo do tipo que ela apresentou.

Com uma narrativa fluída e simples, é impossível desgrudar das páginas de "Panlásia". A história é bem construída e traçada, o que nos faz querer mais quando o livro acaba. Meu amigo estava realmente coberto de razão, esse livro é a minha cara. Amo livros assim e nos momentos de Sara e Daniel eu começava a suspirar. Janaina soube adornar a narrativa com delicadeza e, nos trechos de Daniel, humor. Ri um bocado com esse personagem irônico e perspicaz. Gente, simplesmente amei tudo. Vivi um conto de fadas com direito a final feliz.

A única coisa que senti falta foi da exploração das outras cidades citadas, somente Panlásia e Beller são as que ganham atenção, e Paudar também, mas as outras: Pelini e Prisma são somente citadas por alto. Talvez esse tenha sido o objetivo da autora mesmo, mas, como leitora, senti falta disso. Não é um defeito, mas fiquei curiosa pra saber mais sobre elas. Mas, fora isso, o livro é ótimo, e lindo, muito lindo. Recomendo mesmo. Leiam e vivam essa história maravilhosa. <3
"Era assustador esse pensamento, mas, depois de tudo, ela se sentia feliz por ter sido banida. A pessoa que ela era hoje era muito mais forte do que a menininha assustada que havia sido enviada para a Cidade da Traição."



Informações sobre o livro:
Como vocês podem ver, ele tem folhas brancas
e tem esse detalhe lindo no rodapé.
O acabamento é de brochura com orelha. ^^


Classificação:
Autora: Janaina Alves
Editora: publicação independente
Páginas: 311
Ano: 2015

4 comentários:

  1. Acho que achei o livro para minha próxima leitura (rsrs)
    Bjss linda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Amanda. Você não irá se arrepender. Bjão. ^^

      Excluir
  2. Fiquei feliz de ler a resenha de um livro independente, na verdade acho que essa é a primeira vez que leio. A história é bem interessante! Beijos!

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Isabella!
      E o livro é ótimo mesmo!
      Bjos. ^^

      Excluir

Olá! Seja muito bem-vindo a este espaço, que é nosso!
Deixe seu comentário e clique em "Notifique-me" para podermos conversar; são bem-vindas críticas construtivas, mas não xingamentos. Deixe também o link de seu blog, se tiver, para que possamos lhe retribuir a visita e segui-lo.
Um abração!

© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.