menu

Image Map

24/01/2016

Alice em silêncio

"Alice é apenas uma garotinha assustada, resgatada dos escombros de um deslizamento na estrada, no meio de uma tempestade feroz e destruidora. Pedro também foi arrastado com ela e esteve à beira de desistir (de ishcorregar, o locutor de fala arrastada repetia dentro de sua cabeça), mas aquele estranho sonho em que via a menina com seus grandes olhos azuis assustados... aquilo o fez voltar a si. Precisava tirá-la de lá! Vagando em direção à cidade, eles testemunham a destruição e a dor dos sobreviventes da catástrofe. Desabrigados, feridos, enfermos, mortos... E em meio ao caos surge o rumor de que Alice talvez... talvez tenha curado uma pessoa quando a tocou. Poderia ser possível? Num mundo real, palpável e cruel... poderia ser possível? Pedro insiste que não, mas talvez esteja apenas tentando protegê-la, porque a cada instante parece mais evidente que a verdade...Pedro sabe a verdade. Mas não pode contá-la. Não agora. Porque ele sabe do que as pessoas são capazes para conseguir o que querem."

A alavanca para a história é uma menininha de quatro anos de idade e de grandes olhos azuis e cabelos dourados. O carro de Pedro Malta é arrastado durante uma tempestade avassaladora e o de Alice também. Ele a consegue salvar e, então, começa a jornada. E quando surge a suspeita de que Alice pode curar pessoas, Pedro começa a tentar protegê-la a todo custo.

Temos dois narradores, Pedro, que narra a maior parte do livro, e um outro em terceira pessoa do singular, que narra a respeito do Andarilho. Desde o começo, somos envoltos em mistério. A princípio, nos primeiros capítulos, o livro é bastante descritivo, não chega a ser cansativo, mas possibilita um mergulho profundo na história, porque também estamos vendo e fazendo todo o percurso que Pedro faz com Alice e, mais tarde, com Patrícia.  O narrador, ainda que nos submerja ao mistério, nos conduz e nos orienta. Ele não nos dá respostas, mas indica os caminhos, as trilhas, para que, debaixo da tempestade e dos escombros, possamos buscá-las. O livro todo nos proporciona uma espécie de garimpagem.

Alice foi vista naqueles dias, naquele curto espaço de tempo, como um bichinho exótico, um amuleto, uma arma, um anjo. Nesse último item de sua lista de rótulos, há os que a viram com asinhas brancas e auréola e os que viram outra coisa. Uma coisa que tenha caído. Acredite, ela não é nada disso.

(Quer um conselho de leitor para leitor? Se agarre na afirmação acima. É tudo o que eu posso dizer, haha.)

Assim que nos deparamos com um personagem que só vive fugindo de algo ou alguém, começamos a supor várias coisas, mas nunca teria imaginado o desfecho da história. O autor me surpreendeu de uma forma sensacional. E, afinal,  nós vemos que era Pedro quem precisava de proteção assim como ele afirma.

No fim das contas, não fui eu quem a protegi. Foi ela. Ela foi meu escudo.

A trama é tão bem enlaçada que nos deixa com a sensação de completude. É o tipo de livro que não deixa nada a desejar. Tudo está bem traçado, de forma que real e fantasia andam juntinhas. Não se chocam, elas dialogam. E o mais incrível é que não parece bobo nem nada. Está tudo bem formado e articulado para nos dá a sensação de verossimilhança. As explicações para o dom ou maldição, como queira, que se supõe que a menina tem, são formuladas de forma que tudo se encaixa perfeitamente. 

Quando comecei a ler o livro não consegui mais parar, cada página era um revirar de escombros, era uma busca pela compreensão de Alice, de Pedro, e do Andarilho que tanto me encucou. O autor soube conduzir bem a narrativa, dando doses, soltando apenas as informações necessárias, como se fossem sinalizações, para que seguíssemos em frente. É como se estivéssemos no fundo do mar e cada informação fosse uma espécie de mão salvadora que nos ajudava a aproximarmo-nos da superfície.

Em suma, o livro Alice em silêncio é um livro lindo, cativante e cheio de mistérios que, com certeza, vai te pegar de surpresa. Até hoje estou pensando em como não percebi as pistas, em como não juntei tudo e montei o quebra-cabeça.

É preciso perguntar se eu recomendo? Siiiiim, recomendooo! <3
Gostou da resenha? O blog está sorteando 2 exemplares. Clica aqui e participa!
Abraço!

Classificação:
Editora: SCORTECCI
Ano:2015
Páginas:216

6 comentários:

  1. Ainda não li nada do autor... mas vou dá uma chance para o livro...
    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é realmente ótimo, Amanda. Dê uma chance e você não vai se arrepender.
      Bjos, linda. ^^

      Excluir
  2. Ok, vim dar uma olhada no seu blog (que a propósito eu ameeeeeeeeeeei) e de quebra ainda sou tentada por esse livro? Sinto que preciso ler logo!
    Seguindo seu blog ;)
    beijocasss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, obrigadaaaa!
      Fico feliz que tenha gostado. E o livro é ótimooo!
      Bjos. ^^

      Excluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas achei sua resenha muito interessante e já vou colocá-lo na minha lista do SKOOB!! Ganhou uma seguidora! Bjss

    Leitora Compulsiva
    http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico superfeliz que tenha gostado, Andrea. ^^ O Livro é muito bom mesmo.

      Seja muito bem-vinda aqui!
      Bjos.

      Excluir

Olá! Seja muito bem-vindo a este espaço, que é nosso!
Deixe seu comentário e clique em "Notifique-me" para podermos conversar; são bem-vindas críticas construtivas, mas não xingamentos. Deixe também o link de seu blog, se tiver, para que possamos lhe retribuir a visita e segui-lo.
Um abração!

© ♥ Eu Sou Um Pouco De Cada Livro Que Li ♥ - 2016. Todos os direitos reservados.
Designed by: Amanda Hauanne e Mirelle Almeida. Cabeçalho by: Edu Anjos.
Tecnologia do Blogger.